A primeira semente: Batalha da Central e o solo fértil de Diadema



Por Elber Almeida e Maria Julia T., do ABC paulista (SP)

O 13º texto da série vai ao início de tudo. No dia do aniversário da cidade de Diadema, a cidade com maior densidade populacional do estado de São Paulo, a Prefeitura organizou um evento com uma série de shows na Praça Lauro Michels. Neste mesmo local ocorre, já há cinco anos, o que é a Batalha de MC’s ativa mais antiga do ABCDMRR: a Batalha da Central de Diadema.

Esta é inspiração para o recente movimento de batalhas de MC’s na região. Além de ser a mais antiga, colocou diversos MC’s na cena regional, apoiou batalhas na cidade e tudo isso resistindo à falta de apoio além de repressão policial. Criada com o objetivo de organizar e progredir com algumas manifestações que já aconteciam pela cidade, a Batalha da Central hoje representa uma forma de entretenimento educativo e fomento da cultura Hip Hop para moradores não só desta, mas de toda a região.

Às 19h já era possível ver alguns Mc’s e até mesmo apreciadores chegando para a batalha. Às 19h30 a grande maioria já estava lá. No horário de início, às 20h, antes de começar a batalha, os organizadores precisaram encontrar um novo lugar para que ela acontecesse, já que naquele dia o evento de aniversário da cidade não considerou essa manifestação que já acontece há tantos anos. Música alta, barracas e viaturas ocupavam praticamente toda a praça.

Resolvido isso rapidamente, a batalha teve início. Uma coisa relevante que ocorre na Batalha da Central é o prêmio em livro que o campeão ganha. Naquele dia, uma obra de Fernando Pessoa. Como todas as batalhas da região, também há a folinha com Tag’s e desenhos feito por organizadores e/ou apoiadores da batalha.O formato de mata-mata, com um MC’s enfrentando o outro numa melhor de três é muito parecido com o das batalhas que vieram depois.

Só na cidade de Diadema são ao menos seis batalhas de MC’s ativas, dentre as mais de 30 do Grande ABC. Além disso, com a constante presença de poetisas e poetas, agora está começando a organização de um Sarau e Slam por frequentadoras e apoiadoras da batalha, que ocorrerá todas as últimas sextas-feiras do mês. Afinal, rap é ritmo e poesia.

São mais de cinco anos de história e resistência. Ao lado de outras grandes batalhas que são referências do Hip Hop no estado de São Paulo, numa cidade que tem forte tradição no rap nacional, este evento proporciona a continuidade e crescimento de uma cultura marginalizada que evidencia os problemas sociais de nosso país. Ainda promete muitas histórias, cultivando a cultura local, através da busca de mudanças, amadurecimento e disciplina, buscando sempre manter-se viva.

0 #Cultura e resistência no ABC paulista
1 #Batalha da Pistinha
2 #Batalha da Praça
3 #Batalha da Vila Luzita
4 #Batalha da Galeria
5 #Batalha da Palavra
6 #Resiste Batalha do Carrefa!
7 #A Batalha do Cooperativa
8 #A Tripla Resistência das Minas: Roda Cultural da Brasil
9 #Um Bom Lugar na Quebrada: A Batalha do Remp
10 #Quilombagem urbana que incomoda a burguesia: a Batalha da Matrix
11 #Nas Pistas: 4 anos de resistência em Mauá
12 # Nem tudo é doce: Clandestino em Ribeirão Pires

Mapa das batalhas de MC’s do ABCDMRR:

Comentários no Facebook

Post A Comment