Afronte nas ideias e nas ações

Depois de sete dias de votação online e muita expectativa nasce um novo movimento de juventude no Brasil. 1.745 pessoas participaram, entendendo a importância do envolvimento para fortalecer mais um polo na luta e a maioria escolheu o nome AFRONTE. Essa palavra carrega em si o que pretendemos ser. Nosso nome será AFRONTE porque afrontar no dia a dia é construir a resistência pra dar a virada que a gente precisa no Brasil!

Afrontar Temer e suas reformas!

Começamos a nos organizar neste ano de ataques brutais, após as experiências das ocupações contra a PEC do TETO e contra o governo Temer. Estávamos obstinados a fortalecer a resistência contra as reformas que jogam nosso futuro na lata do lixo, sem direitos trabalhistas e sem aposentadoria e fizemos parte também das ocupações de escolas e universidades que fortaleceram essa resistência.

A Reforma trabalhista é um retrocesso tão grande que vai obrigar as mulheres gestantes a trabalhar em local insalubre, diminuir horário de almoço, deixar as negociações correrem “livres” ditadas pelo patrão, entre outras barbaridades, aumentando ainda mais a precarização do trabalho.
Organizamos junto a diversos setores os comitês pela construção da greve geral do dia 28 de abril lutando pela unidade necessária para resistir aos ataques deste governo ilegítimo. Foram milhares de barricadas país a fora, milhares de piquetes e atos onde a juventude abraçou a classe trabalhadora. Temos orgulho de ter iniciado nossa construção num AFRONTE da classe trabalhadora que foi a greve geral.

Participamos da Marcha a Brasília de 24 de maio onde afrontamos novamente Temer e o Congresso Nacional, que morreram de medo quando viram que após 4 horas de bombas não arredávamos pé, e chamaram o exército para nos conter.

Após a aprovação da reforma trabalhista não resta dúvidas que nossa atitude deverá ser a de recuperar as forças e seguir o combate. Agora nesse semestre teremos uma dura batalha contra a reforma da previdência, que vem na verdade para destruir o direito da juventude a ter aposentadoria e que quer nos fazer trabalhar até morrer. Nascemos afrontando Temer e seu projeto de destruir nosso futuro!

Pra afrontar o capitalismo!

A situação que vivemos hoje é fruto da degradação de um sistema falido. O capitalismo, longe de ser o sistema que deu certo, é o sistema que hoje leva milhões a imigração forçada, que não são aceitos nos países onde buscam abrigo. É o sistema que impõe mais e mais exploração aos 99%, que resistem dia após dia para não perder o pouco que conquistamos com sangue e suor e sustentam com esse suor o 1% mais rico do mundo. O capitalismo precisa ser afrontado! Essa lógica precisa ser invertida.

O capitalismo finge empoderar os oprimidos, mas na verdade impõe um verdadeiro genocídio contra os negros, em especial no nosso país que herdou 300 anos de escravidão. A homofobia e mais ainda a transfobia mata todos os dias LGBTS. As mulheres morrem todos os dias vítimas de violência, de abortos clandestinos, a cada 11 minutos em nosso país acontece uma violência sexual.

Muito tempo se passou acreditando, e muitos ainda acreditam, que é possível mudar a vida do povo na política do “ganha-ganha” onde poderia o 1% e os 99% ganharem ao mesmo tempo. Mas a realidade provou que essa é uma grande utopia. Quando chega a crise os ricos e poderosos radicalizam: não pactuam, mas golpeiam! Os falsos aliados mostram as garras, e como foi com Temer avançam contra nós.

E pra lutar contra o capitalismo hoje é necessário medidas radicais e estamos dispostos a construir uma alternativa política que defendam essas medidas, como a taxação das grandes fortunas, reforma agrária e urbana, redução da jornada de trabalho sem redução de salário para distribuir o trabalho entre todos os braços, nenhum dinheiro para alimentar os sanguessugas do mercado financeiro que vivem de juros e de supostas dívidas de países como o nosso, e punição de verdade aos corruptos e corruptores, onde os donos das grandes empresas corruptas não sejam premiados, onde operações como a “lava-jato” – que não passa de teatro para distrair o povo e servir aos interesses políticos deste ou daquele setor – sejam desmascaradas.

Afrontar as opressões!

O capitalismo lucra com a opressão, lucra em transformar diferença em desigualdade e em superexplorar os oprimidos. Cada salário desigual pela mesma função pago a um negro, a uma mulher ou a um Lgbt, é um lucro direto aos ricos e poderosos. O controle sobre o corpo das mulheres também é lucro pra eles. O racismo institucional que transforma a juventude negra em “suspeitos cotidianos”, que mata e prende por pinho sol ou pipoca na mão de uma criança , é lucro para os ricos e poderosos. A lgbtfobia que coloca trans em empregos precários e muitas vezes escondidos é lucro para os ricos e poderosos. Afrontar o racismo, a lgbtfobia e o machismo é também afrontar esse sistema. Apesar dos ataques, nos últimos anos houve um verdadeiro protagonismo desses setores na luta, tanto nas lutas contras as opressões, quanto na luta contra a retirada de direitos, pois sabemos que quando os direitos são retirados, os primeiros a sofrerem são os setores oprimidos. Organizar esse exército de afrontosas e afrontosos é essencial para nosso movimento.

Afronte na luta!

Afrontar é verbo, é ação. Somos a juventude afrontosa, que desafia o desgoverno de Temer.

Afrontar é revelar a urgência de um movimento combativo. É declarar que não haverá paz até que acabe o extermínio da juventude negra nas periferias.

Afrontar é mostrar que não andaremos de cabeça baixa. Em um dos países que mais mata mulheres e LGBTs no mundo, nós resistimos e lutamos.

Se nos querem calados, nós gritamos. Nós produzimos eventos culturais nas cidades, fazemos cursinhos populares… Utilizamos todas as armas que retirem de nós a mordaça a opressão.

Afrontar é montar barricadas junto com os movimentos sociais, em defesa dos nossos direitos. É também ocupar as entidades estudantis de maneira democrática para que elas sejam nossos instrumentos de luta.

AFRONTE É GUERRA contra os senhores. AFRONTE é organização dos debaixo contra os de cima. AFRONTE é força que nasce na unidade e na ação direta contra o capitalismo.

Comentários no Facebook

Post A Comment