Pular para o conteúdo
Especiais
array(1) { [0]=> object(WP_Term)#20787 (10) { ["term_id"]=> int(4211) ["name"]=> string(41) "Lateral Esquerda - Cobertura da Copa 2018" ["slug"]=> string(39) "lateral-esquerda-cobertura-da-copa-2018" ["term_group"]=> int(0) ["term_taxonomy_id"]=> int(4211) ["taxonomy"]=> string(9) "especiais" ["description"]=> string(0) "" ["parent"]=> int(0) ["count"]=> int(69) ["filter"]=> string(3) "raw" } }

Vencemos a primeira final, agora faltam quatro para o hexa

Por Jaison Xanchão, para o Lateral Esquerda

Seleção faz jogo seguro contra a Sérvia e garante o primeiro lugar do grupo E

Faltam 4 partidas para o hexa, diria Zagallo se fosse entrevistado hoje. As ruas se enchem cada vez mais de esperança, os olhos do povo se voltam para TV toda vez que nossa seleção joga e o ânimo aumenta a cada nossa partida. São jogos duros e de futebol pouco exuberante, mas não é um problema da seleção e sim de uma copa extremamente técnica em detrimento do talento e ousadia que marca o futebol arte. O Brasil superou hoje a Sérvia no equilíbrio emocional e tático, mas sem deixar de lado o toque de bola e talento que é a marca da brasilidade dentro de campo.

A Seleção brasileira não deu sopa para o azar e despachou a Sérvia para casa e segue firme rumo as finais da Copa do Mundo. Diferente do nosso algoz no mundial passado, a Alemanha, que foi desclassificada, o Brasil imprimiu seu ritmo de jogo e não deu chances para uma zebra.

Foi a primeira decisão da seleção verde e amarela e jogo decisivo se ganha não só no talento, mas também na vontade. A ação da torcida brasileira em completar o hino nacional foi emocionante. Esta tradição que se iniciou com a seleção de vôlei, foi hoje repetida e arrepiou os jogadores e todos aqueles que estavam ligados no jogo. Começou ali a nossa vitória.

Foi um jogo de forte marcação, o time sérvio era alto e disciplinado taticamente, jogava com vontade e buscava surpreender nossa seleção. O time que jogava de vermelho tinha uma geração muita boa que foi campeã europeia sub 19 em 2013 e campeã mundial sub 20 em cima do Brasil, e que são conhecidos como os “brasileiros da Europa” por sua habilidade com a bola no pé. Eles tinham um centroavante grandalhão, Aleksandar Mitrovic, que tentou intimidar nossa zaga, mas sem grande sucesso.

Do lado verde amarelo não foram só alegrias. Ainda no início do primeiro tempo, o lateral esquerdo Marcelo, um dos líderes e melhores jogadores da seleção, foi substituído por uma contusão na lombar, preocupando a comissão técnica para o restante da copa. Vamos torcer pela recuperação do nosso lateral. Foi substituído por Felipe Luís que entrou determinado e concentrado fazendo um bom jogo pelo lado esquerdo com Neymar e Coutinho.

A vitória brasileira começou a ser desenhada ainda no primeiro tempo com um passe magistral de Coutinho para Paulinho que rompeu a zaga da Sérvia e com a ponta da chuteira direita abriu o caminho rumo as oitavas de final. O menino Coutinho joga com a 11 na seleção, mas cumpre o papel de um verdadeiro camisa 10. Aquele que é o maestro e joga com magia. O jogador capaz de achar o espaço onde nenhum outro consegue enxergar e como um câmera cinematográfico talentoso muda a visão e percepção de quem está assistido o espetáculo.

Neymar, que é sempre alvo de críticas ou elogios calorosos nas redes sociais, evoluiu no seu comportamento. Prometeu ao elenco não reclamar de arbitragem e assim o fez. Mostrou vontade, ímpeto e jogou para frente de forma aguda. Ainda lhe falta mostrar o melhor futebol, mas é uma esperança para fase de mata-mata, onde uma jogada pode resolver a partida e os grandes gênios podem levar suas seleções ao triunfo máximo.

No segundo tempo a seleção tomou sufoco nos primeiros minutos voltando a equilibrar o jogo quando colocou a bola no chão, respirou e buscou propor o jogo. O futebol é conhecido por ser um esporte que apequena os grandes e engradece os pequenos, pouco justo, mas que em algumas situações a justiça é feita. Hoje foi um desses dias. O segundo gol saiu de uma jogada aérea, a maior força do nosso adversário, e terminou na cabeça daquele que foi massacrado na copa passada, o zagueiro Thiago Silva, que nessa copa está impecável. O abraço pós gol entre ele e Neymar é para selar a paz e encerrar as críticas sobre brigas no elenco.

Agora é reta final e que o espirito vencedor de Beline, Zagallo, Tostão, Pelé, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Romário, Rivaldo e de todos gigantes que marcaram seu nome nas 5 estrelas que carregamos na nossa camisa esteja com nossos jogadores. O adversário das oitavas é o México, seleção rápida e perigosa, mas que historicamente nunca trouxe trabalho para nós, mas certezas estão sendo derrubadas a cada jogo dessa Copa. Força, raça e concentração, pois se depender do talento estamos no caminho certo, faltando 4 jogos, para o hexa!

Mais sobre a cobertura da Copa do Mundo na Rússia no Lateral Esquerda: http://esquerdaonline.com.br/a-lateral-esquerda