Evento na UFPA invadido por jagunços liderados por Prefeito do PSDB

Por Gizelle Freitas – mestranda do programa de pós graduação de Serviço Social da UFPA

Na tarde dessa quarta feira (29.11), um grupo de 40 pessoas chefiadas pelo Prefeito do município paraense Senador José Porfírio, Dirceu Biancardi (PSDB), juntamente com o deputado estadual Fernando Coimbra e mais uma vereadora, invadiram o auditório do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA) e inviabilizaram a partir de muito tumulto, gritaria e ofensa, o evento “As Veias Abertas da Volta Grande do Xingu”, evento este promovido por umas das mais importantes pesquisadoras da UFPA, a professora titular Rosa Acevedo, no qual seriam apresentadas pesquisas sobre os danos ambientais que serão causados pela implantação do projeto da multinacional Belo Sun, que tem por finalidade extrair ouro do Xingu.

Os invasores entraram no auditório, o Prefeito tomou conta da mesa, e não permitiu mais com que a professora Rosa proferisse a discussão, trancaram a porta do auditório por cerca de 30 minutos não permitindo com que os participantes saíssem do local. Quase que agrediram fisicamente os palestrantes, numa atitude de total desrespeito e covardia. O objetivo principal dessa ação violenta foi de impedir com que se discutisse os verdadeiros impactos ambientais e sociais que serão causados na região através da exploração mineral. Região e povo que já tem marcas profundas dos projetos implantados por multinacionais que apenas levam mais miséria, violência, inchaço desordenado das cidades, espoliação total dos minérios e nenhum retorno benéfico financeiro e social aos ribeirinhos, como por exemplo, podemos citar: Belo Monte.

Essa invasão na UFPA por jagunços comandados por um Prefeito sanguessuga das riquezas do Pará, não é a primeira nas universidades federais do país. Grupos ultraconservadores, até de cariz neofascista, tem promovido momentos de terror nas instituições de ensino, impedindo com que discussões importantes, que desnudem o momento político que estamos vivendo, aconteçam.

Assim que o cárcere privado terminou, o grupo de palestrantes saiu da UFPA e foi diretamente à delegacia registrar um boletim de ocorrência. É no mínimo bizarro, surreal, que um evento dentro de uma universidade, espaço da pesquisa, que também deveria ser do debate democrático, tenha sido impedido de acontecer pelas mãos de um Prefeito, que estava ali para preservar todos os privilégios sórdidos que possivelmente receberá com a implantação de um projeto tão danoso.    

Boletim de Ocorrência

Denunciar muito, dar publicidade a esse absurdo também é nosso papel, afinal não podemos arredar o pé da defesa da liberdade, do debate democrático, não podemos permitir que além dos ataques orçamentários que as universidades públicas estão vivenciando, pelo governo Temer, além dos profundos ataques aos direitos dos (as) servidores (as) públicos (as) federais, também queiram calar a pesquisa, a extensão, a discussão.

#UniversidadeCaladaNuncaMais.

   

Comentários no Facebook

Post A Comment