Dia 10 de novembro em São Paulo: um dia de lutas e resistência

Por: Sirlene Maciel, da Executiva Estadual da CSP-Conlutas São Paulo

Às vésperas da entrada em vigor das mudanças aprovadas pela Reforma Trabalhista, milhares de trabalhadores no país todo irão se mobilizar contra as medidas do governo Temer, que rasgam direitos históricos da CLT e passam por cima da Constituição Federal. O movimento, organizado pelo Brasil Metalúrgico e convocado pelas centrais sindicais CSP- Conlutas, Intersindical, CUT, CTB, CGTB, UGT, CSB, Força Sindical, incorporou também, na pauta, entre outras reivindicações, a luta contra a terceirização e a Reforma da Previdência, que deve voltar para a pauta do Congresso Nacional ainda neste ano.

Em São Paulo, várias categorias irão atrasar a entrada, fazer atos e manifestações. É o caso dos bancários, em São Paulo, que vão paralisar a entrada de algumas agências pela manhã. Os metroviários, em protesto, vão trabalhar sem uniforme com adesivo contra as reformas. Já os previdenciários, farão reuniões nas agências. Haverá também paralisações em diversas fábricas nas regiões da cidade.

Os professores municipais irão paralisar suas atividades e realizarão assembleia, às 10h, em frente à Prefeitura de São Paulo, para protocolar suas reivindicações contra o Sampaprev, a terceirização da educação e contra as reformas, e devem seguir em marcha para a Praça da Sé, onde encontrarão o Ato Nacional das Centrais Sindicais que está marcado para 10h, com caminhada até a Avenida Paulista. Neste ato, estarão presentes representantes de diversas categorias.

Na parte da tarde, os trabalhadores do Judiciário Federal farão um ato na Avenida Paulista, às 14h, em frente ao Fórum Pedro Lessa. Já o funcionalismo público estadual, incorporou ao dia de luta a pauta específica que contempla o reajuste salarial, direito às negociações coletivas, contra o fim dos concursos públicos, não à privatização e à terceirização, em defesa do IAMSPE e, sobretudo, contra o PL 920/2017, que congela os salários, quinquênios e evoluções dos servidores.

Neste sentido, está marcada uma concentração às 14h, em frente ao estádio do Morumbi, com caminhada até o Palácio dos Bandeirantes, para a entrega da pauta do funcionalismo público para o Governo do Estado de São Paulo. Estarão presentes as professoras e os professores estaduais que paralisarão neste dia, trabalhadoras e trabalhadores de diversas categorias como Centro Paula Souza, Sabesp, Judiciário Estadual, Saúde, entre outros.

O dia 10 de novembro será um importante dia de luta em todo o país. Precisamos, cada vez mais, somar forças para derrotar Temer e seus aliados, que pretendem impor “goela abaixo” os planos de ajuste fiscal contra os trabalhadores. A unidade de toda a classe trabalhadora e dos sindicatos e centrais sindicais é o elemento que pode mudar essa situação de retiradas de direitos a toque de caixa. Queremos a revogação das reformas aprovadas: Reforma Trabalhista e Reforma do Ensino Médio, e da terceirização, além da não aprovação da Reforma da Previdência. Contra as reformas, não aceitaremos nenhum direito a menos. Vamos resistir!

ATO NACIONAL DAS CENTRAIS

10h, na Praça da Sé – caminhada até a Av. Paulista

ATO PROFESSORES MUNICIPAIS

10h, na Prefeitura de São Paulo, com caminhada até a Praça da Sé, para encontrar o Ato Nacional e ir para a Av. Paulista

ATO DO JUDICIÁRIO FEDERAL

14h, na Av. Paulista, em frente ao Fórum Pedro Lessa

ATO DO FUNCIONALISMO PÚBLICO ESTADUAL

14h, com concentração em frente ao estádio do Morumbi e caminhada até o Palácio dos Bandeirantes.

 

Comentários no Facebook

Post A Comment