Levy Fidelix e o nosso aparelho excretor

Por Carlos Daniel – Militante LGBT do MAIS

Com a famosa frase “Aparelho excretor não reproduz”, o então candidato a presidente, durante um debate televisivo nas eleições de 2014, destilou todo seu ódio contra às LGBTs. Numa clara demonstração de ódio conclamou a maioria da população a lutar contra às LGBTs e continuou afirmando: “Então, gente, vamos ter coragem. Nós somos a maioria, vamos enfrentar esta minoria…”

Continuou associando nossa identidade e nossa orientação à pedofilia ao dizer que o próprio papa havia expulsado um pedófilo da igreja. O profeta do aerotrem pensou que iria sair impune de seu preconceito, mas pra nossa alegria, hoje saiu à publicação da manutenção da condenação de Levy em R$ 25 mil pela “pratica de discriminação homofóbica”. Levy ainda pode recorrer, pois se trata de uma condenação administrativa da Secretaria de Justiça e da Cidadania do estado de São Paulo, mas sem dúvida deve ser comemorada.

Para nós a liberdade de expressão não pode ser traduzida em discurso de ódio, de fomento a nossa morte. Importante punir políticos e líderes religiosos que usam nossa identidade e orientação para destilar o ódio, fundamentar nossa exclusão, nossa invisibilidade e nossas mortes. Mesmo sabendo que a condenação não paga nem apaga as pedradas e agressões que recebemos nas ruas, Levy entenderá que nosso “aparelho excretor reproduziu” uma bela dor de cabeça pra ele.

Comentários no Facebook

Post A Comment