O Brasil de 2030: carta de um viajante do tempo 

Reprodução

Cena do filme “1984”

Direita Volver

Coluna dedicada ao acompanhamento semanal das ações e absurdos dos representantes da extrema direita. Por Ademar Lourenço.

Olá, brasileiro de 2020. Sei que não está tudo bem por aí, mas espero que esta carta tenha chegado a você. Venho de 10 anos no futuro para avisar o que acontece com o nosso país desde que a oposição se dividiu e uma parte decidiu esperar pelas eleições de 2022 para derrotar Bolsonaro. 

Bom, teve eleições em 2022. Mas antes delas Bolsonaro conseguiu ter 6 dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) a seu favor. Quatro indicados pelo presidente.  Dois que ele já iria indicar dentro da normalidade. Um que substituiu um ministro morto em um misterioso acidente de avião. Outra indicação substituiu um ministro que pediu aposentadoria depois de sofrer com ameaças e constrangimentos da militância bolsonarista. O medo fez outros dois ministros que já estavam no Supremo mudar de lado. Enfim, Bolsonaro conseguiu ter a maioria do STF a seu dispor em 2022.  Os outros tribunais superiores também passaram a ser controlados por bolsonaristas. Inclusive o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O Ministério Público Federal, que já não tinha muita independência, foi transformado em órgão para reprimir a oposição. 

Alguns governadores que faziam oposição ao governo foram presos em operações da Polícia Federal e perderam seus mandatos. Os vice-governadores que assumiram e os outros governadores ficaram amedrontados e passaram a apoiar o governo. Apesar disto, os partidos de centro e de esquerda se uniram e lançaram um bom nome para 2022. Só que o candidato foi preso. O substituto também. O terceiro nome indicado pela oposição unificada conseguiu chegar ao segundo turno. 

A economia estava em frangalhos, a situação social estava um caos, mas Bolsonaro conseguiu manter uma base de 30% de apoio. Uns 15% que achavam ótimo ver pobre se dando mal e tinham identificação ideológica com o governo. Outros 15% eram governistas por influência dos pastores ou da mídia, que passou a ser toda governista. Lembra da Rede Globo? Pois é, depois de quase ter a concessão cassada, a família Marinho se acertou com Bolsonaro e mudou totalmente a cobertura jornalística. 

A vacina contra a Covid-19 só saiu a um mês das eleições de 2022. Junto com um novo auxílio emergencial de R$ 600,00. Isto ajudou o governo a ganhar votos. O Paulo Guedes prometeu com muito alarde na mídia que a ajuda iria durar um ano, mas ela foi cortada um mês depois da votação. Nos estados onde Bolsonaro tinha baixa popularidade, o pessoal só foi vacinado depois da eleições. Isto afetou o comparecimento, junto com o fato de nesses lugares as urnas só terem chegado depois do meio dia. O Tribunal Superior Eleitoral, controlado por bolsonaristas, abriu investigações mas concluiu que foi apenas um acidente. 

Apesar de todas as dificuldades, o inacreditável aconteceu. Não adiantou a Polícia Federal ter feito uma busca na casa do candidato da oposição um dia antes das eleições. Não adiantou a mídia ter divulgado a foto de um sequestrador com a camiseta da campanha da oposição. O candidato contra Bolsonaro venceu mesmo assim, com uma diferença pequena de votos. 

Mas o TSE cassou a chapa logo depois, alegando que um apoiador da campanha da oposição em uma cidade do interior fez boca de urna. Os bolsonaristas também fizeram boca de urna a vontade sem punição. Claro, houve grandes manifestações. Segundo diz a atual oposição no exílio, centenas de pessoas morreram, outras centenas ficaram cegas com estilhaços das balas de borracha e milhares foram presas. O governador de um estado chegou a abrir investigação sobre a atuação das Polícias Militares na repressão aos protestos. Foi assassinado.

Depois disso, nunca mais houve protestos de ruas no país. Mas continua tendo atos a favor do governo. Quando Bolsonaro chama uma marcha, os funcionários públicos são obrigados a comparecer sob o risco de serem demitidos. A estabilidade no serviço público foi revogada com a Reforma Administrativa de 2023.

Todos os jornalistas que denunciaram a manipulação das eleições ou divulgaram qualquer coisa contrária ao governo foram processados. Alguns faliram para pagar indenizações ou foram presos. Já os influenciadores digitais que apoiam o governo podem fazer ameaças e contar mentiras livremente. Estão todos ricos com dinheiro público. 

Em 2026, foi aprovada a Emenda Constitucional da reeleição ilimitada e a extensão do mantado seguinte para seis anos. Claro, foi fácil conseguir maioria no Congresso cassando o mandato de parte dos deputados e senadores da oposição e comprando o Centrão com verbas e impunidade. Parlamentar que dava trabalho ao governo logo logo recebia uma visita da Polícia Federal. 

A vitória de Bolsonaro em sua terceira eleição foi fácil. Ele foi candidato único, depois de todos os outros terem sido presos em operações da Polícia Federal. O Presidente ganhou com 100% dos votos em um pleito em que 70% dos eleitores não compareceram. Um dos ministros do STF que não era bolsonarista chegou a decidir pela abertura de investigações sobre manipulação do processo eleitoral. Mas acabou sendo compulsoriamente aposentado por decreto do governo em 2027. Os outros ministros que não eram alinhados com Bolsonaro também foram aposentados. Agora todos os 11 membros do Supremo são governistas. 

Milícias bolsonaristas passaram a matar impunemente quem se opuser ao governo. A polícia não investiga e a Justiça não pune estas ações. Não existem os porões da ditadura militar do século XX, mas a repressão foi privatizada. Parlamentares governistas divulgam na internet listas de “comunistas”. As pessoas incluídas nestas listas passam enfrentam dificuldade ao arrumar um emprego ou até mesmo ao alugar uma casa. Os empresários se empenham em acabar com a vida dos “comunistas”. Fazer oposição dentro do país ficou inviável. Para os intelectuais que tinham mais dinheiro e prestígio, restou morar no exterior. 

Em 2030, uma nova pandemia varreu o mundo, como há 10 anos atrás. Mas o vírus é bem mais mortal. Segundo dados da oposição no exílio, já morreram mais de 2 milhões de brasileiros e ainda nem chegamos ao pico da contaminação. Segundo o ministério da saúde, isto é Fake News e quem fala de pandemia pode ser preso pela Lei Antiterrorismo. 

De acordo com os novos livros de história, Bolsonaro foi um herói nacional que livrou o país do comunismo. Nas escolas todos os alunos são obrigados a gritar em coro os bordões bolsonaristas. Nas aulas de biologia o criacionismo é ensinado junto com as teorias cientificamente comprovadas. O ensino da teoria da Terra Plana ainda não foi implementado, mas Ministério da Educação já se comprometeu a discutir o caso. 

A lei de “tutela laboral de pessoas endividadas” está para ser aprovada. A oposição no exílio diz que é a legalização da escravidão. Afinal, as pessoas “tuteladas” para pagar dívidas com bancos serão forçadas a trabalhar no que os “tutores” mandarem e poderão receber em troca apenas comida e um lugar insalubre para dormir. Mas para Paulo Guedes, a nova lei vai acabar com o desemprego, que não sabemos como está (O IBGE foi fechado). A legalização do estupro de mulheres casadas por seus maridos será sancionada nos próximos dias.