Mar de gente: MTST ocupa Secretaria Estadual de Habitação de São Paulo

Da Redação

Secretaria Estadual de Habitação de São Paulo foi ocupada, na tarde desta quarta-feira (6), por integrantes da Ocupação Povo Sem Medo de São Bernardo do Campo. De acordo com o movimento, ato todo, 900 pessoas fazem parte do protesto que exige uma resposta do governo em relação à situação das oito mil famílias que lutam por moradia.

No último dia 31 de outubro, foi realizada uma grande marcha da ocupação até o Palácio dos Bandeirantes. A manifestação reuniu cerca e 20 mil pessoas e contou com a solidariedade de diversos movimentos sociais. Como resultado, conseguiram abrir uma negociação com o estado para impedir o despejo dos ocupantes do terreno. O movimento denuncia que, até o momento, não houve nenhum avanço concreto sobre o caso. Uma reunião com o Gaorp/TJ acontecerá na próxima segunda-feira. O movimento anunciou que permanecerá por tempo indeterminado na Secretaria, até que seja alcançada uma solução. Um despejo, segundo consideram, significaria uma tragédia social.

Em pouco mais de dez dias de existência, a ocupação já tinha chegado a mais de seis mil ocupantes cadastrados. Esse crescimento exponencial reflete o tamanho do problema habitacional da região e de uma cidade com mais de 90 mil pessoas sem moradia digna. A ocupação se consolidou com assembleias cada vez mais cheias e com um calendário de eventos culturais, incluindo brincadeiras com as crianças, roda de capoeira, batalha de rap, saraus, cineclubes, entre outras atividades. Hoje, é possivelmente uma das maiores ocupações urbanas atuais do país, com 8 mil famílias  acampadas no terreno próximo à Scania, metalúrgica que foi palco do período mais importante na história do movimento operário brasileiro.

Os 60 mil metros quadrados do terreno da incorporadora MZM, proprietária que ataca na justiça a ocupação do MTST, está há quarenta anos sem destinação e contrai uma dívida de meio milhão de reais em impostos ao município. A terra urbana ociosa, que aguarda ser incorporada no mercado imobiliário, fere todos os dispositivos legais do Estatuto da Cidade e da Constituição Federal que obrigam a destinação social das propriedades vazias.

Leia a íntegra da nota do MTST:

Mais de 900 pessoas da ocupação Povo Sem Medo de São Bernardo ocuparam nesta tarde a sede da Secretaria Estadual de Habitação de SP buscando uma solução para o caso.

Depois da marcha de São Bernardo até o Palácio dos Bandeirantes, no dia 31 de outubro, abriu-se um processo de negociação com o estado, mas até agora não se chegou a resultados concretos.

Na próxima segunda-feira ocorrerá a reunião do Gaorp/TJ que decidirá sobre o destino da ocupação.

Por isso a manifestação de hoje. O Movimento permanecerá por tempo indeterminado acampado na Secretaria, buscando uma solução que assegure o direito à moradia das 8 mil famílias que ocupam o terreno e evite um despejo, que seguramente se transformaria numa tragédia social.

Foto: Alessandro Ramos / MTST

Comentários no Facebook

Post A Comment