Pular para o conteúdo
Especiais
array(1) { [0]=> object(WP_Term)#20829 (10) { ["term_id"]=> int(4308) ["name"]=> string(46) "31 M contra a Reforma da Previdência de Temer" ["slug"]=> string(45) "31-m-contra-a-reforma-da-previdencia-de-temer" ["term_group"]=> int(0) ["term_taxonomy_id"]=> int(4308) ["taxonomy"]=> string(9) "especiais" ["description"]=> string(0) "" ["parent"]=> int(0) ["count"]=> int(32) ["filter"]=> string(3) "raw" } }

Professores de SP votam paralisação de 28 a 31 de março e marcha à Brasília contra a Reforma da Previdência

Por André Valuche, de São Paulo, SP

O 15 de março está sendo muito forte. Paralisações e protestos de professores, metalúrgicos, trabalhadores do setor do transporte público, servidores, eletricitários, químicos e diversas outras categorias.

É um ato nacional com ações acontecendo em praticamente todos os estados do país. Com o dia 15 ficou bem vivo o sentido de classe trabalhadora. Ficará marcado como o dia que a classe tomou as ruas para lutar contra as reformas e defender os seus direitos.

32d99f99-fadf-4567-b6b6-350cd83c22c3

Os professores, em todo o território nacional, são a vanguarda do processo. E, no estado de SP, fizemos uma grande paralisação. Os informes que chegam das escolas dão conta que tivemos 80 % de escolas paradas. A assembleia na Praça da República reuniu cerca de 15 mil professoras e professores.

Para prosseguir a campanha contra a reforma da previdência e as maldades do golpista Temer , a assembleia aprovou greve a partir do dia 28 de março e um calendário de lutas e atividades para aumentarmos a pressão contra o governo e os deputados picaretas. Esse calendário aponta a necessidade de mantermos a mesma unidade que tivemos para construir o dia de hoje.

Do calendário votado destacamos a nova paralisação nos dias 28, 29, 30 e 31 de março. Com caravana a Brasília no dia 28 e nova Assembleia no dia 31 de março.