Fatos internacionais que marcaram 2016

 JANEIRO

 

16: Irã desmonta parte de seu programa atômico e ONU suspende sanções. A Agência Internacional de Energia Atômica anuncia que o Irã cumpriu seus compromissos assumidos no Acordo do ano anterior, quanto ao desmonte de parte de seu programa atômico, possibilitando que as sanções impostas das Nações Unidas fossem abolidas imediatamente.

2017-ira-png
Foto:
Ministro de Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif abraça o chanceler francês Laurent Fabius durante os acordos de Genebra. Crédito: Denis Balibouse/Reuters.

16: Manifestação em Stuttgart, Alemanha, contra os ataques racistas feitos aos abrigos de imigrantes.

alemanha
Foto: Christoph Schmdt/DPA via AFP

21: Manifestações na Tunísia, após um desempregado ter morrido eletrocutado após perder uma vaga em um emprego público.
2017-tunisia
Foto: Manifestações de protesto chegam ao centro de Túnia, capital do país. Crédito:EPA

 

FEVEREIRO

 

02: Greve geral de 24 horas na Grécia, contra a reforma da previdência do governo Syriza

2017-grevgg
Foto: Manifestação em Atenas durante a greve geral. Crédito:Getty Images

09/02 O candidato Bernie Sanders, ganha as eleições primárias do Partido Democrata contra Hillary Clinton no estado de New Hampshire, mostrando que seriam eleições muito disputadas

2017-bernie
Foto: Bernie Sanders sorri após vencer as primárias presidenciais democratas em New Hampsire. Crédito: Tom Williams/CQ

10/2 – Greve de 50 mil médicos juniores, no Reino Unido, contra a mudança nos seus horários e condições de trabalho

2017-junior
Foto: Médicos juniores protestando em Londres em fevereiro. Crédtio:Guy Smallman

26: Início de um cessar-fogo parcial na Síria, coordenado pelos EUA, Rússia, o regime Sírio e os grupos de luta de armada contra o governo. Em poucos dias o acordo foi violado e os combates recomeçaram.

 2017-sir
Foto: Combatente opositor ao regime de Assad se protege em região próxima a Damasco. Crédito: AFP

 

MARÇO

 

12: Milhares de refugiados bloqueados na fronteira entre a Grécia e a Macedônia

 2017-ref
Foto: “Abram a froteira. Queremos passar”. Refugiados e imigrantes próximos da fronteira da Grécia com a Macedônia. Crédtio:Getty Images

17: Os Curdos Sírios declaram a formação de um “região federal” entre três cantões autonômos no norte da Síria: Jazira, Kobane e Afrin. Foi formado um Conselho Federal de Autonomia Nacional e Cultural dos Curdos com 31 membros representando os Cantões e cidades liberadas e controladas pelos Curdos Sírios.

2017-curods
Foto: Conselho da Região Federal do Curdistão Sírio. Crédito: Reuters

20: EUA normaliza relações diplomáticas com Cuba. Embargo econômico permanece.


2017-cuba
Foto:
AP Photo/Dennis Rivera

22: Atentado no Aeroporto de Bruxelas (Bélgica) deixa 31 mortos e mais de 300 feridos em ação reivindicada pelo autodenominado Estado Islâmico


2017-brux
Foto: Ketevan Kardava/Georgian Public Broadcaster/AP

31: Primeira grande manifestação contra a reforma trabalhista proposta pelo governo francês de François Hollande (PS) reunindo mais de 70 mil pessoas. Ao fim do ato, os manifestantes se reúnem na Place de la République e iniciam uma assembleia/ocupação reunindo alguns milhares – movimento que ficou conhecido como Nuit Debout.

2017-fran
Foto: Erwan Manac’h/Politis – Assembleia do Nuit Debout

 

ABRIL

 

02: Choques armados entre Armênia e Azerbaijão em Nagorno-Karabakh matam pelo menos 193 pessoas, no mais grave rompimento do cessar-fogo desde 1994, quando, após um longo conflito armado no qual os dois países disputaram o território de Nagorno-Karabakh, entre 1988-1994, foi assinado um acordo de paz no qual declararam a autonomia da região de Nagorno-Karabakh, ainda que esteja integrada ao Azerbaijão.

2017-azer
Foto: Sputnik – Militares na zona de conflito.

03: Divulgação do Panamá Papers. Vazamento revelam 11 milhões de documentos apontando a utilização de paraísos fiscais pelo 1% mais rico do planeta.

2017-panam
Foto: Site Panama Papers

05: Primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur Gunnlaugsson, renuncia por ter seu nome na lista dos Panamá Papers.

2017-isl
Foto: Twitter – Protesto em frente parlamento na capital da Islândia.

Seca – no Sudeste Asiático, afeta cerca de 330 milhões de pessoas na Índia.

2017-seca
Foto: Ahmedabab, Índia – Reuteurs/Amit Dave

 

MAIO

 

15: A limpeza étnica palestina, a Nakhba, completa 68 anos sem sinal de solução e 5 milhões de refugiados e descendentes não podem regressar às suas casas e propriedades.

 2017-nak
Foto: A Marcha do Retorno é realizada pela primeira vez no deserto do Neguev, onde os beduínos são perseguidos sem cessar. Crédito: Ammar Awad/Reuters

15: Começa a greve nacional do magistério, no México, contra os ataques aos direitos  da categoria e que duraria 114 dias.

2017-mex
Foto: Manifestação dos professores na cidade do México. Crédito: Reforma

27: Visita de Obama a Hiroshima no Japão, cidade na qual os EUA lançaram a primeira bomba nuclear no final da Segunda Guerra Mundial. Apesar de honrar os mortos pelo massacre, Obama não incluiu um pedido de desculpas formais e justificou o lançamento da bomba como uma “decisão difícil”.

2017-hiro
Foto: Obama e o primeiro-ministro japonês Shinzō Abe em ato de homenagem as vítimas de Hiroshima. Créditos: Toru Hanai/Reuters

30: Uma das semanas mais trágicas no mar, quando mais de 700 refugiados morreram no Mediterrâneo. No ano passaram de 5000 mil os mortos.

2017-refug1
Foto: Barco abarrotado de refugiados em busca da salvação da guerra e da miséria.  Crédito: Nações Unidas

 

JUNHO

 

03: Morte de Muhammed Ali, boxeador, um dos maiores esportistas da história e um dos primeiros que utilizou seu reconhecimento esportivo para lutas políticas. Ali se recusou a lutar no Vietnã, apoiou a luta por direitos civis dos negros norte-americanos e teve relações com os Panteras Negras.

2017-ali
Malcom X fotografa Muhammed Ali (1964). Crédito: Bob Gomel

12: Atirador ataca uma boate LGBT em Orlando (EUA), deixando 49 pessoas mortas.

2017-orl
Foto: Agencia Efe

14: Manifestação com mais de 150 mil pessoas em Paris, contrários a contrarreforma trabalhista do governo Hollande, do Partido Socialista.

2017-fran-1
Foto: Manifestação nas ruas de Paris. Crédito: Solidaires.

23: Brexit. Contrariando as sondagens, a população britânica aprova em referendo o Brexit – a saída da Grã-Bretanha da União Europeia – com uma margem apertada de 51,8% contra 48,2% que votaram pela permanência. O primeiro ministro, David Cameron, renuncia a seu cargo.
2017-brex
Foto: Stefan Wermuth/Reuters

28: Atentado em aeroporto em Istambul (Turquia), deixa 42 mortos e mais de 200 feridos. A Turquia acusou o Estado Islâmico como responsável e nos dias posteriores realizou prisões relacionadas a supostos militantes do grupo.
2017-isam
Foto: Reuters

30: Rodrigo Duterte chega a presidência das Filipinas e inicia uma campanha de guerras as drogas no país, por meio de ações militares e paramilitares, matando, até o momento, mais de 6 mil pessoas.

2017-dute
Foto:
Bullit Marquez/AP

 

JULHO

 

11: Cerca de 600 mil enfermeiras indianas realizam um dia de paralisação contra a privatização dos serviços, pelo reconhecimento como trabalhadores, salário mínimo e por pensão.

2017-ind
Foto: Manifestantes em Nova Déli. Crédito: All India Federation of Anganwadi Workers and Helpers

14: Atentado em Nice (França). Caminhão atropela uma multidão que comemorava a Queda da Bastilha em Nice, deixando 86 mortos e mais de 400 feridos. O atentado foi reivindicado pelo autodenominado Estado Islâmico – a França é um dos países que apoiam a ofensiva contra ele na Síria e no Iraque.

2017-atent-nice
Foto: Caminhão que atropelou multidão na cidade de Nice, na França, e deixou dezenas de mortos. Créditos: Valery Hache/AFP

15: Tentativa de golpe de Estado contra o presidente turco Recep Erdogan. Ação é derrotada pelas tropas leais ao presidente. Opositores são perseguidos e milhares são presos.

2017-erdo
Foto: Civis lutam contra os militares golpistas. Créditos: AP

19: Convenção do Partido Republicano (EUA) escolhe Donald Trump como candidato a presidente.

2017-convencao-re
Foto: Convenção do Partido Republicano. Jim Watson/AFP

24: Cerca de 1 milhão vão às ruas no Chile contra o sistema de previdência privado e exigem a adoção de um sistema público de previdência.

chileFoto: Milhares se manifestam em Santiago, Chile. Créditos: EFE

26: Convenção do Partido Democrata (EUA) escolhe Hillary Clinton como candidata a presidente.

2017-hilla
Foto: Hillary Clinton na Convenção do Partido Democrata. Créditos: Mike Segar/Reuters

 

AGOSTO

 

3: Pior resultado eleitoral do CNA, principal partido na África do Sul desde a queda do apartheid, apesar de ainda manter 54% do total dos votos.

2017-cna
Foto: Apoiadores do Congresso Nacional Africano.  Crédito:Siphiwe Sibeko/Reuters

9: Repressão contra as manifestações contra o governo na Etiópia causam mais de 100 mortos em um dia, mais de 400 nos últimos meses. Os oromos, maior etnia do país e que somam 26 milhões na Etiópia e no Quênia, lutam contra as reformas que os fariam perderem sua zona de cultivo.

2017-etio
Foto: Manifestação na Etiópia.
Crédito: AFP/Getty Images

17: Bombardeio em Alepo (Síria) comove o mundo. Resgate de Omran Daqneesh, 5, após um ataque aéreo de Assad a Alepo.

2017-menino
Foto: Alepo media center

31: Donald Trump visita o México durante campanha presidencial e defende a construção de um muro na fronteira com os EUA para barrar a entrada de imigrantes no país.

2017-trump-pena
Foto: Trump e o presidente mexicano Peña Nieto conversam com jornalistas. Créditos: Yuri Cortez/AFP

 

SETEMBRO

 

02: Greve Geral paralisa a Índia. Organizada por 10 dos 12 sindicatos nacionais, calcula-se que o total de trabalhadores paralisados pode ter chegado até 180 milhões.

2017-india
Foto: grevistas no Estado de Tamil Nadu. Créditos: CPIM/Facebook

8: Revolta camponesa na aldeia de Wukan, província de Guandong (China), Protestos de ruas e ocupação das terras foram brutalmente reprimidas.

2017-wuk
Foto: Manifestantes em Wukan. Crédito: SCMP

19-20: Revolta popular no Congo, contra a decisão da Comissão Eleitoral de adiar as eleições presidenciais de 2016 para 2017, estendendo o mandato do atual presidente Joseph Kabila. De acordo com a Comissão de Direitos Humanos do Congo, morreram na revolta 46 pessoas.

2017-kinsh
Foto: protesto em Kinshasa, capital da República Democrático do Congo. Créditos: John Bompengo/AP.

24: Jeremy Corbyn vence as eleições para a liderança do partido Laborista por mais de 60% dos votos, depois de desafiado pela direita do partido.

2017-corb
Foto: Discurso de Corbyn na Conferência do partido Laborista após a vitória. Crédito: Peter Nicholls/Reuters

 

 

OUTUBRO

 

2: Referendo surpreende e rejeita Acordo de Paz na Colômbia. O “Não” ao acordo entre as Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia (FARC) e o governo de Juan Manuel Santos ganhou com uma margem estreita de 50,2% contra 49,8% (60 mil votos de diferença).

2017-colo
Foto: Colombianos acompanham a apuração do resultado. Créditos: John Paz / Xinhua

3: Mais de 100 mil mulheres, realizam protestos em 87 cidades na Polônia contra uma lei que agravava a proibição do aborto.

2017-var
Foto: Mulheres protestam em Varsóvia. Créditos: Instagram

17: Início da ofensiva do governo iraquiano sobre Mossul (Iraque). Com o apoio dos EUA e em alianças com os curdos da região, governo tenta retomar principal bastião do autodenominado Estado Islâmico localizado no norte do país.

2017-iraque
Foto: O exército iraquiano avança para Mossul. Créditos: Reuters

19: Multitudinária Marcha de Mulheres com paralisação de 1 hora em diversas cidades da Argentina. Protesto nacional contra o brutal feminicídio da jovem Lucía Péres, 16.

2017-arg
Foto: Instagram

24: Início da desocupação do acampamento de imigrantes em Calais, no norte da França. Protestos foram registrados durante a desocupação.

2017-pas-de-calais
Foto: Protestos em Calais. Créditos: PA Press Association

26: Milhares de estudantes vão às ruas na Cidade do Cabo, África do Sul, contra a cobrança de taxas e pela educação superior gratuita.

2017-africa
Foto: Estudantes se enfrentam com a repressão policial, próximo a Universidade de Witwatersrand em Joanesburgo. Créditos: AP.

29: Milhares protestam em Seul, Coréia do Sul, pedindo a renúncia da presidente Park Geun-hye, após um escândalo envolvendo sua amiga e confidente, Choin Soon Sil. Ela aconselhava assuntos de Estado sem exercer nenhuma função oficial, sendo investigada por tráfico de influência e corrupção. Foi afastada pelo Congresso em dezembro.

2017-coreia
Foto: Manifestantes em Seul. Créditos AP

29: Mariano Rajoy do Partido Popular é reeleito primeiro-ministro da Espanha com a abstenção histórica do Partido de Socialista de Obrero de España (PSOE) – nenhuma das coalizões partidárias conseguiu ganhar a maioria para governar, após duas eleições.

2017-rajoy
Foto: Rajoy saindo do Parlamento espanhol após a confirmação da sua eleição como primeiro-ministro. Créditos: Fernando Villar (EFE)

 

NOVEMBRO

 

03: O ativista sindical chinês Meng Han foi condenado a 21 meses de prisão pela Corte de Guangzhou por “distúrbio a ordem pública”. Além dele, outros três dirigentes sindicais foram condenados pelo mesmo motivo.


2017-china-preso
Foto: Crédito: CLB

06: Os níveis de poluição em Nova Déli, Índia, chegam a 5 vezes o nível considerado impróprio.

2017-dehli
Foto: 
Nova Déli / CNN

08: Donald Trump é reconhecido como o vencedor das eleições dos EUA.

2017-elect
Foto: Trump discursa após a vitória eleitoral. Créditos: Mike Segar/Reuters

10: Manifestações em dezenas de cidades americanas contra a eleição de Donald Trump ocorrem e persistem por semanas. Grande manifestação anunciada para Washington DC no dia da posse, em 20 de janeiro

2017-not-my
Foto: Milhares se manifestam contra Trump na 5ª Avenida, em Nova York. Créditos: Spencer Platt/Getty Images

19: Frente de Izquierda y de los Trabajadores (FIT) da Argentina realiza um ato com mais de 20 mil pessoas no Estádio do Atlanta na Argentina.

2017-fit
Foto: Militantes da FIT no Estádio de Atlanta em Buenos Aires. Créditos: Prensa Obrera

25: Morre Fidel Castro o principal dirigente da Revolução Cubana de 1959.

2017-fidel
Foto: Fidel discursando. Créditos: Rafael Perez/Reuters

30: Novo acordo de Paz entre o governo e as FARC foi aprovado por unanimidade no Congresso colombiano.

2017-senado-col
Foto: Votação no Senado colombiano do acordo de paz. Créditos: EPA

 

DEZEMBRO

 

02: Alexander Van der Bellen, ambientalista, venceu o candidato de extrema-direita, Norbert Hofer, nas eleições para a presidência da Áustria. O resultado foi de 53 a 47% dos votos, o que mostra a força do candidato de um candidato de um partido fundado por antigos nazistas.

2017-aus
Foto: Cartazes dos candidatos presidenciais na Áustria.
Crédito: EPA

04: O Corpo de Engenharia do Exército do EUA nega a permissão para a construção do oleoduto XRL nas terras dos índios Sioux, garantindo uma vitória provisória, pois Trump pode tentar reverter a decisão.

2017-sioux

Foto:Índios americanos “protetores da água” comemoram a decisão do Corpo de Engenharia. Crédito: Lucas Jackson/Reuters

02: Venezuela é excluída o Mercosul. Aumenta o cerco sobre o governo do presidente Maduro.

2017-venez
Foto: Chanceler venezuelana, Delzy Rodrigues, em coletiva de imprensa. Créditos: Federico Parra/AFP

04: Referendo na Itália dá vitória ao “não” à reforma constitucional que reduzia poder do Senado. O primeiro ministro Matteo Renzi renuncia após o resultado.

2017-italia
Foto: Primeiro-ministro dá entrevista após a derrota. Créditos: Andreas Solaro/AFP

12: As forças sírias anunciaram a tomada de Aleppo, a última grande cidade em mãos dos grupos opositores ao regime de Bachar Al-Assad.

2017-aleppo
Foto: Manifestantes na cidade de Saqba, controlada pelos opositores, se manifestam em solidariedade aos moradores de Alepo. Msallam Abdalbaset/AFP

19: Ex-policial mata o embaixador russo na Turquia, durante a inauguração de uma exposição de artes em Ancara, aos gritos de “Não se esqueçam de Alepo”.

2017-ankara
Foto: Atirador discursa após atirar no Embaixador. Foto: Burhan Ozbilici/AP

20: Nova revolta popular explode na República Democrática do Congo contra prorrogação do mandato do presidente Joseph Kabila para 2017 e que venceu no dia 19 de dezembro. Ao menos 22 mortos e cerca de 275 pessoas foram presas nesses protestos.

2017-kinsh
Foto: Manifestantes na capital Kinshasa. Créditos: Thomas Mukoya/Reuters

22: Conselho de Segurança da ONU condenou a expansão dos assentamentos israelenses no território palestino. Decisão histórica só foi possível pela abstenção dos EUA, que normalmente vetava esse tipo de decisão.

2017-samanta
Foto: A embaixadora norte-americana, Samantha Power, se abstém na votação. Créditos: AP.

23: Fim da evacuação dos opositores da parte leste de Aleppo, na Síria.

2017-allepo-fim
Foto: ônibus preparados para a evacuação dos moradores. Crédito: EPA.

29: Vladimir Putin anuncia que seu governo e os da Síria, Irã e Turquia acertaram um cessar-fogo na Síria. Os grupos de oposição teriam dado seu apoio, com a exceção notável dos curdos que nem foram mencionados. O acordo menciona que o autodenominado Estado Islâmico e a Al Qaeda (Al Nusra) continuariam sendo atacados e os curdos nem foram mencionados.

2017-putin-fdp
Foto: Pronunciamento de Putin sobre os termos do cessar-fogo na Síria.
Crédito: Mikhail Klimentiev/Sputnok, via AFP

29: Tomomoni Inada, ministra da defesa do Japão visita o santuário de Yasukuni, onde estão as cinzas dos mortos em combate do Japão, inclusive de criminosos de guerra da II Guerra executados. Foi mais uma prova da intenção do governo Abe de mudar a constituição do país e restabelecer forças armadas ofensivas. China e Coreia do Sul protestaram em forma veemente contra essa visita.

2017-japao
 Foto: Ministra da defesa após a visita ao santuário Yasukuni. Crédito: Yosuke Mizune/Kyodo News, via AP

 

 

Comentários no Facebook

Post A Comment