Pular para o conteúdo
BRASIL

Professor Luciano, pré-candidato do PSOL em Rio das Ostras (RJ), tem apartamento invadido e celulares furtados

Executiva Municipal do PSOL Rio das Ostras

Nesta manhã, ao acordar, o professor Luciano Barboza percebeu que seu apartamento na Boca da Barra havia sido invadido durante a madrugada. Foram furtados dois aparelhos celulares, um de uso pessoal e outro do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE) além de dinheiro. “Se foi um assalto, que seja investigado, se foi um recado, temos que mandar outro! Vamos continuar a nossa luta e cada vez com mais força!” disse o Professor Luciano.

Este fato merece especial atenção por se tratar de um ano eleitoral em que o referido professor já lançou sua pré-candidatura, sendo um dos mais importantes dirigentes sindicais ativos na cidade, influenciador e uma pessoa pública muito respeitada.

Ainda nesta manhã, Luciano Barboza foi à 128ª Delegacia Polícia Rio das Ostras e fez o registro do ocorrido, exigindo providências. Além disso, entrou em contato com representantes das direções estadual e nacional do PSOL para acompanharem o caso. Esta precaução se deve a dois fatores centrais: O PSOL é o partido de Benoni Alencar e de Marielle Franco.

Benoni Alencar foi co-fundador do PSOL em Rio das Ostras, junto a Luciano Barboza (este também foi um dos 101 membros fundadores do partido nacionalmente). Benoni, que nesta época trabalhava no Tribunal de Justiça, também era jornalista, já tendo trabalhado em veículos importantes como Jornal O Globo e Jornal do Brasil e seria, segundo discussões internas do PSOL, candidato no ano de 2012. Em 2011, no entanto, foi assassinado em sua residência, uma semana após ter escrito o icônico texto “Verdes e Laranjas: Cores de um mesmo borrão¹” que explicava sem censura, os arbítrios da política local riostrense e sua história envolvendo violências e assassinato do ex-prefeito Claudio Ribeiro. Até hoje a justiça não concluiu satisfatoriamente o por que do estrangulamento de Benoni Alencar.

O caso de Marielle é bem mais recente. É improvável que alguém não se recorde a execução da vereadora do município do Rio de Janeiro que teve repercussão internacional. O que não sabiam os algozes desta importante lutadora é que a semente de Marielle se espalharia de forma vertiginosa, abrindo portas antes intransponíveis.

No jardim semeado por Marielle, negras e negros, professores, lutadores, militantes dos movimentos sociais, sindicalistas, pessoas comuns, resolveram tomar para si as tarefas de resistir em mais um período conturbado de nossa conjuntura. Em nome de tantas lutas, o PSOL Rio das Ostras envia solidariedade ao companheiro Luciano.

O PSOL de Rio das Ostras cobrará investigações e afirma de forma contundente que não deixará de defender ideais e construir a luta da classe trabalhadora. Denunciar o que ocorre em nosso município é a melhor forma de nos proteger. Não nos calaremos, seguiremos o caminho das lutas pelos direitos humanos e sociais! Exigimos apuração dos fatos!