Pular para o conteúdo
MUNDO

Vídeo: Exército israelense mata jovem palestino e ergue o corpo com uma escavadeira

Mohammed Al-Naem, de 27 anos, foi atingido por disparos de soldados israelenses e depois teve o seu corpo destroçado por uma escavadeira

FONTE: Palestina Libre.org
Reprodução

Ainda que seja impossível saber qual é o crime mais cruel, entre os incontáveis crimes cometidos pelo Estado de Israel diante do povo palestino, alguns acabam se destacando mais do que os outros. Na manhã deste domingo, 23 de fevereiro, um jovem palestino de 27 anos, depois de ter sido morto pelas tropas israelenses, teve o corpo destroçado por uma escavadeira israelense, um bulldozer.

As cenas foram filmadas e viralizaram nas redes sociais, expressando a crueldade do exército israelense e seu absoluto desprezo pelas vidas e parla dignidade do povo palestino.

Clique aqui para assistir (CENAS FORTES)

O jovem Mohammed Al-Naem foi morto durante enfrentamentos próximos à Khan Yunis, na Faixa de Gaza. Em seguida, o exército israelense, sob ordens do ministro da Defesa, o sádico criminoso de guerra Naftali Bennett, decidiu recolher o corpo e impedir que os jovens palestinos levassem-no. Os militares enviaram uma escavadeira, acompanhada por um tanque Merkava.

Os amigos do jovem fizeram várias tentativas de resgatar seu corpo diante da chegada da escavadeira, mas não conseguiram, pois tiveram que sair correndo com risco de serem atingidos pelos disparos. Um jovem chegou a ser ferido na tentativa. O bulldozer recolheu o cadáver com a parte dianteira, e este arrastando o corpo de um lado a outro, e ao final, o condutor ergueu o corpo, que ficou preso pela camiseta. A parte de baixo do corpo foi atropelada e destroçada pelo veículo.

O ministro de Defesa israelense respondeu às críticas pelo Twitter dizendo que o Hamas retém os cadáveres dos soldados israelenses e aidna afirmou: “Dou meu total apoio ao exército que eliminou os terroristas e tomou o cadáver”.

A mãe de Mohammed, Mirvat, que viu as imagens do corpo sem vida de seu filho pendurado, exigiu a rápida devolução do corpo, para que seja enterrado. Ela falou da dor de ver um filho morto e tratado dessa maneira. Sua esposa, Hiba, declarou que o filho do casal, de apenas um ano de idade, crescerá sem o pai. Ela não quis ver o vídeo.

Após a divulgação do vídeo, também começaram a circular e viralizaram nas redes vários desenhos, e ainda comparando ao assassinato da norte-americana Rachel Corrie, que morreu atropelada por uma escavadeira israelense em Rafah, quando protestava contra a demolição de casas do povo palestino.

Marcado como:
Israel / palestina