Achou que depois da eleição a mamadeira de piroca tinha desaparecido? Achou errado!

Direita Volver

Coluna dedicada ao acompanhamento semanal das ações e absurdos dos representantes da extrema direita. Por Ademar Lourenço.

Bolsonaro criou uma rede muito grande para espalhar Fake News durante as eleições. São milhares de grupos no Whastsapp, com milhões de contatos de pessoas ativas, recebendo o tempo todo conteúdo controlado diretamente pela família do presidente. Essa rede continua muito ativa e hoje é usada para defender o governo.

Um exemplo recente é da batalha que o governo trava contra as universidades federais. Muitos já devem ter visto no Facebook ou Instagram imagens de estudantes nus dançando supostamente no ambiente em que deveria estar havendo aula. No Whatsapp, esse tipo de imagem está sendo compartilhado aos milhões. Seu tio bolsonarista com certeza já recebeu várias delas.

Ser bombardeado por uma mensagem várias vezes por várias fontes diferentes reforça a ideia de que ela representa a realidade. É a tática de Firehosing, muito usada na campanha de 2018. É uma atualização da tática do propagandista nazista Joseph Goebbles, que dizia que “uma mentira dita cem vezes se torna uma verdade”.

No caso, algumas das cenas dos estudantes nus podem até ser verdadeiras. As universidades federais em geral tem espaços físicos muito grandes, normalmente afastados da cidade, com muita área verde entre um prédio e outro. Com uma grande concentração de jovens entre 18 a 25 anos nesse ambiente, não é mentira que em algum momento alguém tenha a ideia de querer dançar pelado. Mas para a campanha bolsonarista, este tipo de coisa acontece o tempo todo. É como se você entrasse na universidade e visse uma praia de nudismo ou um prostíbulo.  Fazer com que a exceção (estudantes nus no campus) pareça regra é uma forma de mentir.

Ver jovens de 18 a 25 anos pelados com certeza vai despertar a atenção de seu tio bolsonarista. Em parte por motivos que ele não pode confessar. Em parte porque esses jovens seriam uma versão universitária da mamadeira de piroca. Aquela que durante a campanha diziam que iria ser distribuída para as crianças. Seria mais uma tentativa da “esquerda” de tentar acabar com a família brasileira e perverter os jovens. Mais um motivo para ter medo. Esse medo vai fazer com que seu tio compartilhe essa imagem. Que será novamente compartilhada por milhares de outros tios bolsonaristas.

Mas não se engane. Existe um esquema profissional e bem pago para espalhar o medo e o preconceito na população. O governo é apoiado por uma parte do empresariado disposta a pagar pelos disparos em massa e pela compra de cadastros, que multiplicam o poder da família Bolsonaro no Whatsapp.

Usar a nudez e a sexualidade para chamar a atenção, criar pânico e evitar o debate racional é uma tática que não acabou na campanha de 2018. Teve a mamadeira de piroca, teve o Golden Shower, e agora os universitários pelados. Isso será uma constante enquanto Bolsonaro estiver no poder. Outras mamadeiras de piroca virão.

Não nos enganemos. Esta tática é eficiente e realmente convence milhões. Não será fácil convencer as pessoas de que as universidades não são prostíbulos. O brasileiro infelizmente ainda tem uma relação mal resolvida com o sexo. Pensa nele o tempo todo mas ainda o vê como pecado. Isto torna o nosso povo presa fácil daqueles que esfregam cenas de nudez na cara das pessoas e ao mesmo tempo condenam essa mesma nudez. O objetivo é gerar medo, ansiedade, raiva e um pouco de inveja nas pessoas. Com isto, fica mais fácil convencê-las de que todas essas tensões vão se revolver eliminando o inimigo apontado.

Por isto, muito cuidado ao convencer a população. A tática do governo é usar o medo, a raiva e a sexualidade mal resolvida para manipular a população. Dialogar com quem é vítima deste esquema não é fácil. Exige muita paciência e sensibilidade.