Pular para o conteúdo
Colunas

Crueldade do governador Rui Costa mostra ser sem limites com cortes de salários

Governador do PT cortou os salários dos docentes das universidades da Bahia em razão da greve da categoria

Hilton Coelho

Hilton Coelho é mestre em História. Na UFBA, fez parte do Diretório Central dos Estudantes. Como servidor público federal, Hilton atuou também no movimento sindical e no movimento popular, sempre identificado com a luta pelos direitos humanos. Foi eleito vereador de Salvador pelo PSOL por duas vezes, em 2012 e 2016, e em 2018 foi eleito deputado estadual.

É um absurdo que um ex-sindicalista e ex-defensor dos direitos dos trabalhadores, agora que virou governador, atue desta forma antidemocrática. As crueldades do governo estadual de Rui Costa (PT) não têm fim. Os cortes nos salários dos docentes são de um autoritarismo que merece o repúdio da sociedade.

É um desrespeito à autonomia universitária e ao direito de greve determinar o corte de salários e tentar acabar com uma greve democrática e decidida pela maioria da categoria através da repressão. Será que ele esquece que o patronato do Polo Petroquímico tentou o mesmo em 1985 e os trabalhadores não cederam? Está agora usando os mesmos métodos dos patrões autoritários?

Esperamos uma manifestação firme da base governista na ALBA defendendo os docentes em luta, em especial dos partidos progressistas como o PT, PCdoB, PSB e PDT. A paralisação é um direito legítimo dos trabalhadores, que só podem contar com sua resistência organizada para defender seus direitos. O corte de salários é uma medida antissindical, com objetivo de punir e criminalizar o movimento docente. A atitude governamental é um absurdo tamanho G. A greve é legal e um direito constitucionalmente garantido. Após anos de ausência de diálogo, foi justamente o forte movimento de greve que trouxe o governo estadual para mesa de negociação.

O corte nos salários é uma medida injusta e autoritária, Sinaliza um governo pouco disposto ao exercício democrático do diálogo. É justamente o contrário do que o movimento docente e a sociedade esperam. Democracia se constrói com diálogo e respeito aos direitos conquistados e estabelecidos na Constituição de 1988. Ainda há tempo para o governador Rui Costa (PT) mudar de ideia, reverter essa posição grave e equivocada, que em nada contribui para uma solução negociada possibilitando, ao final, que uma educação publica na Bahia seja a grande beneficiada.

* Hilton Coelho (PSOL) é membro da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA).

Marcado como:
bahia / uneb / universidade