Uma terapia alternativa para TDAH, depressão, ansiedade e outros

Jéssica Milaré

Jéssica Milaré

Jéssica Milaré, travesti, bissexual, doutoranda em Matemática pela Unicamp, militante LGBT, transfeminista e do PSOL, membro da Associação da Parada do Orgulho LGBT de Campinas.

Pesquisas têm mostrado que se pode alterar estados mentais a partir de certos estímulos externos. [1] O uso terapêutico de estímulos, por exemplo sonoros, ajuda a mente a atingir um estado de relaxamento, sono, cura, criatividade, memória, concentração, foco, entre outros. O uso de um simples aplicativo para celular, tablet, ou arquivos de som reproduzidos em qualquer dispositivo pode ajudar no tratamento de condições mentais, mas também pode ser usado por pessoas neurotípicas. [2]

A controvérsia – funciona ou não?

Em cada instante, as sinapses do nosso cérebro ocorrem em uma determinada frequência. Esta se altera a depender da atividade que estamos realizando. A Terapia Binaural (em inglês, Binaural Beats) consiste em reproduzir duas ondas sonoras, uma em cada ouvido, com uma pequena diferença de frequência. Isso teoricamente faz com que o cérebro funcione com frequência igual a essa diferença. Existem também terapias desse tipo usando eletrodos ou estímulos audiovisuais – em que os efeitos são mais perceptíveis.

Estudos mostram que, em pessoas com TDA/TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e/ou Hiperatividade), o cérebro costuma apresentar altos índices de atividade theta e baixos índices de atividade beta.

Alguns estudos que encontrei mostram que o uso de terapia em frequências beta ajudam (ainda que pouco) no tratamento de TDA/TDAH, aumentando concentração para algumas tarefas, particularmente nas lições de casa. [3] Outros estudos mostram que frequências mais baixas ajudam a relaxar e combater insônia. Note-se que os estudos que mencionei são às cegas, ou seja, um grupo de pessoas faz o tratamento com uma música, outro grupo com a mesma música com os sons terapêuticos de fundo. Portanto, a terapia tem efeito para além do efeito placebo e do efeito de ouvir música – o que comprovadamente também ajudar na concentração ou no relaxamento.

Embora os aplicativos apresentem vários modos de funcionamento, apenas alguns deles são apoiados por testes científicos. Terapias com estímulos audiovisuais ou de eletrodos têm efeitos mais fortes e consistentes.

A vantagem: ao contrário dos remédios efeitos colaterais são muito raros. Há suspeita que a terapia binaural pode induzir epilepsia em pessoas com tendência a epilepsia, mas isso é controverso.

Uma experiência pessoal

Tenho Déficit de Atenção (TDA) e depressão e uso drogas (remédios comprados em drogarias são drogas). Sem parar com as drogas, comecei a testar esse método recentemente e o efeito tem sido perceptível.

Instalei aplicativos pelo Android que requerem uso de fones de ouvido. O som que se ouve é uma frequência constante, em volume baixo. Por enquanto, o melhor aplicativo gratuito que encontrei foi o “Atmosphere – Terapia Binaural”. Tem também o “Brain Waves – Binaural Beats”. O som pode ser ouvido junto com uma música.

Em momentos de angústia ou depressão, o modo Cura Universal ajudou-me a me acalmar. Quando tive desânimo ou indisposição, o modo Concentração me tirou da inércia. Em algumas noites com a mente inquieta, o modo Dormir fez seu papel. Pode-se usar um modo seguido do outro para estimular diferentes partes do cérebro. Não se deve esperar nenhum milagre, mas, ao que me parece, tem algum efeito.

Substituir ou complementar a medicação?

Em qualquer tratamento ou terapia, é preciso levar em conta as condições e necessidades individuais. Muitas vezes, a medicação é necessária, mas outras formas de terapia sempre são necessárias. Não se pode ignorar a sanha de lucro da indústria farmacêutica, que financia estudos com o objetivo de vender mais drogas e não com objetivo de encontrar as melhores soluções para a doença, que muitas vezes podem ser através de tratamentos sem drogas.

Por isso, divulgo esse método, mas aconselho que haja acompanhamento profissional. Caso haja interesse, informe sua terapeuta, psicóloga e/ou psiquiatra.

NOTAS

[1] Esse tipo de tratamento é chamado de Brainwave Entrainment (Entretenimento das Ondas Cerebrais) ou Brainwave Synchronization (Sincronização das Ondas Cerebrais).

[2] Neurotípica é uma pessoa que não possui nenhuma condição, deficiência ou disfunção mental. Uma pessoa que possui alguma condição, deficiência ou disfunção mental é chamada de neuroatípica.

[3] Encontrei alguns estudos (incluindo testes em grupos de controle) nos links abaixo:

https://www.monroeinstitute.org/article/3356

http://www.astarapoint.com/Binaural.pdf

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0882596308003321

http://sincspain.com/wp-content/uploads/2011/08/HS-y-el-d%C3%A9ficit-de-atenci%C3%B3n_2.pdf