Pular para o conteúdo
Colunas

Danilo Gentili, liberdade de expressão e hipocrisia

Direita Volver

Coluna dedicada ao acompanhamento semanal das ações e absurdos dos representantes da extrema direita. Por Ademar Lourenço.

Danilo Gentili merecia estar preso há muito tempo. Ele já ofereceu bananas a um negro e fez piada comparando “King Kong” com jogador de futebol. Nunca foi punido, mas finalmente a Justiça o condenou a seis meses por gravar um vídeo em que rasga uma notificação oficial, passa nas partes íntimas e xinga a deputada Maria do Rosário.

Gentili infelizmente não vai para a cadeia. A pena poderá ser cumprida na forma de serviços comunitários ou coisa do tipo. Se é que ele vai cumprir a pena, pois o “humorista” vai poder entrar com recurso.  Mas os influenciadores digitais da direita já saíram gritando que a decisão da Justiça é uma “afronta à liberdade de expressão”. O destaque foi o próprio presidente Jair Bolsonaro.

Nesta semana, o jornalista Julian Assange foi preso em Londres por expor crimes de guerra dos Estados Unidos. Ninguém falou absolutamente nada nos canais de direita. Nem um pio. Em dezembro, o deputado federal eleito Jean Wyllys teve que sair do Brasil após receber ameaças de morte. As ameaças eram sérias, os criminosos sabiam a placa de seu carro e do carro de seus familiares. Alguém na direita defendeu a liberdade de expressão do deputado? Pelo contrário, comemoraram o exílio de Jean.

No ano passado, a vereadora Marielle Franco teve sua liberdade expressão e sua vida retirados em um atentado executado por milicianos. O motivo do crime era exatamente o que ela falava em defesa dos moradores das comunidades. O que os “defensores da liberdade de expressão” fizeram? Ou ficaram calados, ou espalharam calúnias contra a vereadora.

Hipocrisia, a rainha absoluta

Se a direita quisesse se solidarizar com alguém, teria feito alguma coisa em relação ao músico que foi fuzilado com 80 tiros pelo exército nesta semana. Mas em absolutamente nenhuma página ou perfil de direita foi dito um pio sequer. Cadê a turma do estado mínimo nessas horas?

A palavra de ordem dessa turma não é solidariedade. É hipocrisia. Um exemplo recente é o de um deputado “defensor da família tradicional”. Ele foi obrigado a se assumir gay após ameaças de vídeos íntimos serem expostos, em uma perseguição homofóbica repugnante. Outro exemplo é o da deputada bolsonarista que há pouco tempo fazia declarações favoráveis ao uso da maconha e hoje apoia o governo e seu discurso moralista.

Quem realmente ameaça a liberdade de expressão

Entre as mais de 700 mil pessoas encarceradas no Brasil, não há ninguém que foi preso por ser militante de direita. De vez em quando, depois de muitos abusos, ataques, ofensas, apologia à violência e mentiras, um juiz dá uma decisão muito branda contra alguém. Mas essa turma só respeita a Justiça quando ela os favorece.

Quem ameaça a liberdade de expressão é o governo Bolsonaro, que celebra a ditadura militar que matou, torturou e censurou opositores. É bom lembrar que em uma ditadura assim até gente da direita, de pensamento liberal, acaba sendo perseguida. Gentili tem hoje liberdade para ser racista e preconceituoso a vontade. Mas quem sabe um dia ele sofra nas mãos do governo que ele ajudou a eleger.  

Marcado como:
extrema direita