Aluno ligado ao MBL tenta agredir estudante de História e leva a PM para a UFBA

Por: Coletivo Afronte BA

É preciso trazer a público que hoje sentimos os efeitos da escalada do fascismo e das ofensas contra a liberdade de manifestação do pensamento na universidade. Hoje, 10 de outubro de 2018, um estudante de História da UFBA convidou os colegas para um debate sobre a conjuntura das eleições e a defesa da democracia. Um colega, com vinculação ao MBL e histórico de atitudes racistas, iniciou uma discussão com ofensas e agressões verbais que culminaram na tentativa de agressão física ao primeiro estudante, no que foi contido pelos colegas de classe.

Após, o estudante agressor saiu das dependências da Universidade correndo e mobilizou a polícia militar, na estrada de São Lázaro, alegando que havia sido ameaçado de morte pelo colega. Em uma atitude precipitada e sem amparo legal, os policiais acompanharam o estudante de volta à Universidade, a pretexto de protegê-lo, e convidou ambos os estudantes para prestar esclarecimentos na 7ª Delegacia de Polícia (Rio Vermelho). É importante registrar que não havia uma situação de flagrante, já que o estudante já se encontrava fora da Universidade quando encontrou os policiais, o que torna ilegítimo o ingresso dos policiais militares em área federal. A possibilidade de patrulhamento de conflitos e discussões entre estudantes pela PM reporta ao passado autoritário da Ditadura Militar e não pode passar desapercebida. Isto se torna mais grave quando esse acesso é mobilizado por um grupo político que fomenta um discurso militarista e de violência.

O estudante agredido contou com apoio de colegas que imediatamente conduziram uma plenária com mais de 300 pessoas para repudiar a atitude e prestar solidariedade ao colega agredido. Na delegacia o estudante contou com o apoio e de professoras e professores da UFBA e advogados voluntários que vão acompanhar o desdobramento do caso.

É preciso repudiar todas as iniciativas de cerceamento da liberdade de pensamento, sobretudo no espaço de debate de ideias, que é a Universidade. O enfrentamento de práticas fascistas tem de ser parte do cotidiano de todas e todos os que defendem a Democracia.

FOTO: Estudantes realizam uma plenária, após a entrada dos policiais.

 

Comentários no Facebook

Post A Comment