#EleNão: Confira a programação do ato deste sábado em Aracaju (SE)

Por: Igor Baima, Aracaju, SE

Em todo o Brasil, as mulheres têm dado exemplo de unidade, organização e mobilização em torno da campanha #EleNão. Sergipe não ficou de fora. Neste sábado, dia 29, às 15h, no viaduto do Distrito Industrial de Aracaju, será realizado um grande ato público da campanha, cujo objetivo é impedir que um projeto machista, fascista e marcado pela violência e pelo preconceito se instale no Brasil por meio de uma candidatura ao maior cargo do Poder Executivo. Além de Aracaju, também ocorrerão atos hoje nas seguintes cidades de Sergipe: Capela, Estancia, Gloria, Lagarto, Itabaiana, Neópolis e Poço Redondo.

Confira a programação

Para Débora Melo, jornalista e militante do movimento feminista, “a pauta do movimento é defender a democracia no país e lutar contra o fascismo que está materializado em um candidato a presidente da república, que tem defendido uma proposta violenta, machista e homofóbica, e tem feito a defesa de um projeto neoliberal e de retirada de direitos dos trabalhadores. Em mais de vinte anos de congresso ele sempre tem votado contra os trabalhadores e votado em defesa de privilégios de quem já tem privilégios. Para além do projeto machista ele representa um projeto que é contra o trabalhador, e mais do que isso, o que eu acho que é mais grave ele representa um projeto fascista”.

Comissão organizadora do ato

Comissão organizadora do ato

Para a diretora do Mulheres do Diretório Estadual do PSOL Sergipe, Hortência Chagas, “ é um dia essencial de luta e manifestação em nossa pais, além de brasileiras que moram em outros países que também se manifestarão, e um dos candidatos à presidência da república é uma ameaça brutal, uma ameaça real e concreta a democracia brasileira, aos direitos historicamente conquistados da classe trabalhadora, das mulheres, negros e negras. É é um candidato declaradamente machista, racista homofóbico, que defende a entrega dos bens sociais, da saúde, da educação. Esse candidato incita o ódio e a violência e a gente acha que ele é uma ameaça fascista e gente sabe que diariamente seus apoiadores tem incitado o ódio e ameaçam principalmente pelas redes sociais. É imprescindível que todas as mulheres, homens, mães trabalhadores do campo ou da cidade entendam a importância do 29 de setembro e de a gente dizer “EleNao”, que nós não vamos aceitar a possibilidade dessa candidatura, porque não cabe para nosso pais, não cabe para as nossas vidas um presidente com esse perfil. ”

Para a assistente social e militante da Resistência/PSOL, Juliane Barbosa, as mulheres não podem faltar ao dia de amanhã “porque nós mulheres lutamos historicamente para ter nossos direitos garantidos e agora existe uma ameaça real de um candidato que quer cortar esses direitos que não respeita as mulheres, que diz que mulher deve ganhar menos, porque engravida. É um candidato que pega nossos filhos no colo e ensina a atirar, a fazer gestos com arma, então as mulheres não devem aceitar isso de um candidato que vai cortar investimentos que vai construir uma sociedade totalmente autoritária, militarizada e repressiva. Foi ao custo de muito suor e sangue que as mulheres conquistaram seus direitos. Nós já estamos nas ruas e nas de redes sociais mobilizadas, para neste sábado, a gente dizer EleNão, porque não queremos esse candidato na presidência da república. EleNão, EleNunca.”

Sobre o ato
O ato será um verdadeiro Festival de Cultura contra o machismo e o ódio e em defesa da democracia. Com caráter lúdico, o ato irá integrar diversas manifestações culturais produzidas e protagonizadas exclusivamente por mulheres artistas sergipanas. Uma mostra audiovisual e apresentações musicais marcarão o evento.

A manifestação contará ainda com um espaço destinado às crianças, como forma de oportunizar as mulheres que têm filhos a participarem do evento. O espaço infantil do ato contará com música, brinquedos e recreadores.

O #EleNão Sergipe é um movimento suprapartidário, construído por diversas entidades não governamentais, movimentos sociais e de juventude, sindicatos, entidades de classe, centrais sindicais, partidos de diversas orientações políticas, mas também é composto por um grande número de mulheres feministas independentes. Com caráter espontâneo, o Ato público está sendo organizado por uma comissão ampla com a participação democrática destes movimentos e entidades.

# Programação completa #

Atrações Culturais:
16h – Nanã Trio
16:30 – Leticia Paz
17h – Diih Flow Minas
17:30 – Dani DK – Art. 163
18h – Samba de Moça Só
18:30h – Soyan
19:00h – Ariane Passos
Yala Souza
Anne Souza

. Oficinas de cartazes
. Espaço infantil

Recreação; palhaços, pula-pula, apresentação do grupo Casa do Zé
. Intervenção audiovisual: por Carolina Timóteo

LEIA MAIS

Manifesto das mulheres unidas contra Bolsonaro; por igualdade, liberdade, direito e uma vida sem violência

 

Comentários no Facebook

Post A Comment