Homem aponta arma e ameaça advogados do MTST em Aracaju (SE)

Por: Zeca Oliveira, de Aracaju/SE

Durante uma assembleia aberta do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) nesta terça-feira, 7, um homem identificado como membro da Guarda Municipal de Aracaju (GMA) sacou uma arma de fogo e ameaçou reiteradamente Izadora Brito e Antônio Dias, advogados do movimento.

A assembleia do MTST com cerca de 200 pessoas embaixo do viaduto do terminal rodoviário do DIA, local de grande movimentação da capital sergipana, ocorria com normalidade. Até que os advogados do movimento foram alertados de que havia um homem filmando tudo que acontecia no local, de forma suspeita. Ao ser percebido pelos membros do movimento, o homem sacou uma arma e apontou para o grupo. Segundo Izadora, ela e Antônio se aproximaram para pedir explicações. “Chegamos lá e encontramos uma pessoa completamente transtornada, gritando, nos xingando, enfurecida. Perguntamos se ele era policial por estar portando uma arma. Ele confirmou que era policial. Então pedimos que ele se identificasse. Ele começou a nos atacar. Nunca vi tanto ódio na minha vida”, diz Izadora.

A advogada relata que, a princípio, pensou se tratar de uma pessoa de extrema direita pelo seu discurso de ódio. “`Seus defensores de bandido. Eu vou encher a cara de vocês de tiro. Vocês são todos ladrões. Vou papocar a cabeça de vocês’. Era assim que ele se dirigia a nós o tempo todo. Chegou a ir para cima de mim e do meu colega quando Antônio pegou o telefone para ligar para a polícia”, afirma.

Guarda Municipal
Vinícius Oliveira, coordenador do MTST em Sergipe, explica que o movimento confirmou, através de informações disponíveis no site da própria GMA, que o homem que ameaçou os advogados faz parte do Setor de Inteligência do Grupo de Operações Táticas (GTO), uma espécie de ‘Pelotão de Choque’ da Guarda Municipal.

Segundo Izadora, enquanto o advogado Antônio Dias falava ao telefone com a polícia, o homem armado também fez uma rápida ligação. Minutos depois apareceu uma viatura da Guarda Municipal ao local. “Nós nos jogamos em frente ao carro da Guarda para pedir ajuda. Dissemos que havia um homem armado nos ameaçando. Pra nossa surpresa, os agentes disseram que não podiam fazer nada. ‘Como não podem fazer nada? Vocês estão presenciando um crime. Esse homem está armado e disse que iria nos matar’, eu falei pra eles. Enquanto a Guarda falava com a gente, o homem armado saiu andando tranquilamente do local”, explica a advogada.

“Ouvimos muitos relatos sobre o papel da Guarda Municipal na periferia de Aracaju, aterrorizando, agindo de forma mais violenta inclusive que a própria Polícia Militar. A bala de revólver que quase matou uma companheira grávida numa ocupação há poucos meses veio também da Guarda Municipal”, desabafa. A Guarda Municipal de Aracaju é hoje diretamente subordinada ao prefeito Edvaldo Nogueira, do PCdoB.

Providências
A sessão especial na Câmara Municipal de Aracaju nesta sexta-feira, 10, em alusão ao Dia do Advogado, foi dedicada à denúncia desse grave atentado contra os advogados do MTST e o caso passou a ser acompanhado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). “A OAB/SE tomará medidas drásticas para prevenir e puir tais atentados contra a democracia, porque cercear os advogados e advogadas no exercer de seu mister é um reflexo da falência do Estado. Pois a advocacia livre e independente é sinônimo da saúde dos sistemas jurídicos e democráticos do país”, assegurou o presidente da OAB/SE, Inácio Krauss, na sessão especial.

Após a sessão, Izadora Brito e Antônio Dias foram acompanhados por seus colegas advogados, representantes do MTST e do PSOL até a 1ª Delegacia Metropolitana, onde foi registrado boletim de ocorrência para o início das investigações.


Foto: Aquiles Castro

Comentários no Facebook

Post A Comment