Greve dos professores de Jaboatão dos Guararapes continua

André Oliveira, de Recife, PE

Os professores da rede municipal de Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, que estão em greve, tinham marcado uma assembleia nesta quarta-feira (23), pela manhã, na Escola Antônio Januário. Mas, diante da intransigência do prefeito Anderson Ferreira (PR), que se recusa a dialogar com a categoria, a assembleia foi convertida em ato público em frente ao Complexo Administrativo da Prefeitura.  A pressão em frente ao prédio surtiu efeito e uma comissão foi recepcionada pelo secretário de articulação política Robson Leite, pelo representante do governo na Câmara Municipal, Carlos André, e pelo gestor da gerência de pessoas Rodrigo Oliveira.

Mas como era de se esperar, não houve nenhuma proposta por parte deles. Informaram que as decisões partem unilateralmente do prefeito. Este, por sua vez, aguarda, eternamente, os dados da equipe financeira de sua gestão para tomar alguma medida. Os trabalhadores em educação reivindicam 10,42% de reajuste, além da aplicação do piso da categoria, pagamento de  gratificações tais como ‘difícil acesso’ e melhoria das condições de trabalho, já que muitas escolas encontram-se sucateadas, com vários problemas estruturais e de segurança.
 
Esse cenário é bem diferente do que é propagandeado pela Prefeitura, que inclusive gasta um enorme montante de recursos com uma ilusão publicitária. Na categoria diz-se que o prefeito vive no “fantástico mundo de Bob”.

Outra reivindicação levantada é a convocação dos aprovados no último concurso. O quadro docente da rede conta com um enorme quantitativo de contratados, que recebem menos, trabalham mais, não têm todos os direitos trabalhistas garantidos, e ainda por cima, como é relatado por eles mesmos, muitos gestores têm os ameaçado ou assediado, inclusive negando participação na greve, alegando que seus empregos correm risco.

É preciso dizer não a todos esses desmandos. É preciso fortalecer a greve e a luta dos professores, independente do tipo de vínculo. Os professores não podem baixar a cabeça e aceitar todo esse descaso e abuso. A categoria permanece em greve e convoca para um ato conjunto com os demais servidores da Prefeitura, que acontecerá nessa sexta-feira (25), na praça do viaduto Geraldo Melo, no bairro de Prazeres. Na terça-feira, 29 de maio, acontecerá mais uma assembleia dos professores. Será às 14h, no Clube Ferroviário, em Jaboatão Centro.

Comentários no Facebook

Post A Comment