Gaza: Ex-soldados israelenses conclamam a que os atiradores do exército sionista não atirem sobre palestinos desarmados

Publicado originalmente no jornal Guardian

 

Depois de o grupo Breaking the Silence, composto por ex-soldados israelenses ter pedido que os soldados não disparassem sobre manifestantes palestinos desarmados em Gaza, mais um grupo de ex-soldados reafirma o seu pedido. Hoje, sexta-feira, 13 de abril, novas manifestações ocorrem em na fronteira erguida por Israel em Gaza, com 163 feridos até agora. (Editoria Internacional)

 

Nós fomos atiradores de elite israelenses e estamos muito tristes pelas mortes em Gaza. Como sabemos por nossa própria experiência, esses jovens soldados carregarão para sempre com eles as cenas que testemunharam

Nós, um grupo de ex-combatentes que fomos membros de grupos de atiradores de elite, desejamos expressar nossos sentimentos de angústia com relação aos recentes incidentes na Faixa de Gaza. Ao sabermos das ordens militares que permitem que os atiradores atirem com munição real em manifestantes desarmados, sentimos vergonha e tristeza: vergonha por ordens desprovidas de sentido moral e ético, e tristeza pelos jovens soldados, os quais, como sabemos muito bem pela nossa própria experiência, carregarão sempre consigo as cenas que testemunharam através dos visores de seus rifles.

Dar ordens para atiradores abrir fogo para matar manifestantes desarmados que não representam nenhum perigo para a vida humana é outro produto da ocupação e do regime militar que sofrem milhões de palestinos, assim como da liderança insensível e moralmente  degenerada de nosso país.

Fazer o mal a pessoas inocentes em Gaza é parte do que é necessário para manter um regime de ocupação e não podemos permitir que isso continue. Somente
terminando com o controle militar sobre o povo palestino terminará com esse estado de coisas.
Gil Fermon 50° Batalhão Nahal, Amit Goldberg, Nadav Weiman, Unidade Nahal de Reconhecimento, Avner Gvaryahu Unidade de Paraquedistas Anti-tanque,
Ron Zaidel, 931º Batalhão Nahal

 

Comentários no Facebook

Post A Comment