Salvador: Aumento da tarifa de ônibus é um roubo! Nenhum centavo a mais para a máfia do transporte



Por Jean Montezuma, de Salvador

Em entrevista concedida na última sexta-feira dia 22, o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) confirmou que a tarifa de ônibus na capital sofrerá reajuste. Na ocasião, o prefeito disse que o novo valor ainda depende de estudos técnicos de responsabilidade da ARSAL, a agência reguladora do transporte público criada na gestão do prefeito do partido Democratas. A tarifa atual, que é de R$3,60, está entre as mais caras do Brasil e em total contraste com a péssima qualidade do serviço que é oferecido a população e o arrocho salarial e degradação das condições de trabalho imposta aos rodoviários.

Na mesma entrevista em que confirmou que haverá aumento, ACM Neto se gabou dizendo que “Hoje não existe mais aquela coisa de empresário de ônibus ficar barganhando com prefeito ou com secretário. Nós temos um contrato, e esse contrato estabelece claramente quais são as regras para o reajuste, e o contrato vai ser seguido pela prefeitura”. O contrato defendido pelo Carlista é resultado de uma licitação recheada de indícios de fraude na qual as mesmas empresas que controlam desde os anos 80 o transporte coletivo na capital ditaram as regras do jogo e ganharam de presente da prefeitura de ACM Neto uma nova concessão de 25 anos, com direito a reajuste automático anual da tarifa. Desde então todo ano o roteiro é o mesmo. Sem nenhum debate com a população, nem mesmo na Câmara Municipal, a tarifa é reajustada por meio de decreto no diário oficial do município. No ano passado o absurdo foi tamanho que a tarifa saltou de R$3,30 para os atuais R$3,60 antes mesmo que o tal estudo técnico elaborado pela ARSAL fosse finalizado.

ACM Neto trata o aumento da tarifa como fato consumado porque para ele o critério determinante jamais será o bem-estar da população que sofre as longas esperas nos pontos e depois se aperta em ônibus lotados; ou que tem sofrido o transtorno de ver linhas importantes sendo extintas pela prefeitura via decreto e sem nenhum debate. Para ACM Neto o fundamental é a defesa dos interesses do SETPS (Sindicato das Empresas de Transporte Público de Salvador), uma verdadeira máfia que desde sua fundação, em 1981, desenvolve uma relação espúria de “toma lá, da cá” com prefeitos e vereadores perpetuando seu domínio sobre o transporte público da capital baiana.

O novo aumento irá reforçar o arrocho sobre as condições de vida dos trabalhadores e do povo pobre de Salvador, que já sofrem os efeitos dos ataques do golpista Michel Temer, do qual ACM Neto é um fiel aliado. É dever de todos nós o repúdio a mais esse ataque e a luta para barrá-lo. Nenhum centavo a mais para o bolso do SETPS, qualquer aumento será um roubo! Também é preciso retomar a luta pela suspensão da concessão dada de presente por ACM Neto aos empresários do SETPS. Somente saindo das mãos dessa verdadeira máfia de empresários que o transporte poderá ser pensado e gerido enquanto um direito, tomando como prioridade o direito à cidade e a melhoria nas condições de vida dos trabalhadores e trabalhadoras que dependem do transporte público.

 

Comentários no Facebook

Post A Comment