Pular para o conteúdo
Especiais
array(1) { [0]=> object(WP_Term)#20771 (10) { ["term_id"]=> int(4301) ["name"]=> string(44) "30 de junho de greves, atos e paralisações" ["slug"]=> string(41) "30-de-junho-de-greves-atos-e-paralisacoes" ["term_group"]=> int(0) ["term_taxonomy_id"]=> int(4301) ["taxonomy"]=> string(9) "especiais" ["description"]=> string(0) "" ["parent"]=> int(0) ["count"]=> int(46) ["filter"]=> string(3) "raw" } }

Nota das Centrais Sindicais contra ação violenta da Brigada Militar a dirigentes sindicais no RS

Da Redação

O Esquerda Online divulga a íntegra da nota das centrais sindicais gaúchas contra a ação truculenta da Brigada Militar, em Porto Alegre. O professor Altemir Cozer, um dos detidos na manifestação, foi encaminhado ao presídio e, mesmo após alvará de soltura, continua preso. Já somam 27 horas de cerceamento de liberdade.

Confira a nota

As centrais sindicais gaúchas repudiam a ação truculenta e desproporcional da Brigada Militar aos manifestantes que estavam em frente às garagens de ônibus, no Dia Nacional de lutas Contra as Reformas Trabalhista e da Previdência, realizado nesta sexta-feira (30/6). Dessas atitudes truculentas, na Carris, resultaram quatro prisões a dirigentes sindicais – dois da CTB e um* da CSP-Conlutas. Os presos também foram algemados e agredidos pelos policiais.

As entidades que representam os trabalhadores desaprovam toda a ação dos policiais militares durante as manifestações de hoje. Os PMs atacaram os manifestantes que atuavam de maneira pacífica no local com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha, de forma intolerante e desproporcional.

Não serão estas atitudes covardes e arbitrárias que nos intimidarão de lutar de forma cada vez mais intensa e segura na defesa da democracia, do livre direito de manifestação e de greve, contra as Reformas da Previdência e Trabalhista.
Porto Alegre, 30 de junho de 2017.

Assinam: CTB, UGT, NCST, CSP- CONLUTAS, CGTB, CSB, CUT, FS