Pular para o conteúdo
Especiais
array(1) { [0]=> object(WP_Term)#20773 (10) { ["term_id"]=> int(4301) ["name"]=> string(44) "30 de junho de greves, atos e paralisações" ["slug"]=> string(41) "30-de-junho-de-greves-atos-e-paralisacoes" ["term_group"]=> int(0) ["term_taxonomy_id"]=> int(4301) ["taxonomy"]=> string(9) "especiais" ["description"]=> string(0) "" ["parent"]=> int(0) ["count"]=> int(46) ["filter"]=> string(3) "raw" } }

Altemir: informe após 27 horas da prisão

O professor Altemir segue preso. Já são 27h entre detenção e prisão.

A argumentação das autoridades é de que a demora para libertação do Altemir é em razão de um problema no sistema de informática do Tribunal de Justiça que não emite as guias para a empresa que administra os presídios. Mas, a legislação não impede que seja feito “à moda antiga” de forma não informatizada.

Além da movimentação dos advogados que conseguiram um novo alvará de soltura, estamos em contato com o Deputado Estadual Pedro Ruas (PSOL) e com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do RS, Deputado Jeferson Fernandes (PT), para intervir junto às instituições responsáveis.

O advogado responsável entrou mais uma vez no presídio central pela manhã e conversou com Altemir. Ele está de meias, pois o sapato foi confiscado quando entrou e está com dificuldades de beber água, pois não há bebedor. Mas, ele passa bem.

Seguem chegando amigos, familiares e ativistas dos movimentos sociais em frente ao Presídio Central. Convidamos todas e todos a repassar estas informações, interagir nas redes sociais exigindo a liberdade imediata de Altemir e fortalecer a vigília.

Mais informações pelos números 51 993179807 – Matheus Gomes
51 992410525 – Lucas Fogaça