Pular para o conteúdo
Especiais
array(1) { [0]=> object(WP_Term)#10449 (10) { ["term_id"]=> int(4308) ["name"]=> string(46) "31 M contra a Reforma da Previdência de Temer" ["slug"]=> string(45) "31-m-contra-a-reforma-da-previdencia-de-temer" ["term_group"]=> int(0) ["term_taxonomy_id"]=> int(4308) ["taxonomy"]=> string(9) "especiais" ["description"]=> string(0) "" ["parent"]=> int(0) ["count"]=> int(32) ["filter"]=> string(3) "raw" } }

Petroleiros de SJC participam de Plenária sobre reformas, terceirização e preparam luta do 28 de abril

Da Redação, de SJC, SP

Cerca de cem petroleiros da REVAP, Refinaria localizada em São José dos Campos, em São Paulo, pararam nesta sexta-feira (31), por aproximadamente duas horas, em razão da plenária convocada pelo Sindipetro-SJC para debater os projetos de terceirização e da Reforma Trabalhista do ilegítimo governo Temer.

A palestra foi apresentada por Durval Wanderbroock Junior, Coordenador do IBEPS – Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais. Durante a exposição, foram explanados os impactos do Projeto de Lei (PL) 4302/98, que regula, entre outros ataques, a terceirização ampla e irrestrita, permitindo com que sejam terceirizadas as atividades-fins, tanto do serviço privado, quanto do serviço público. Também foram explicados os malefícios do PL 6787/2016, que, entre outras coisas, prevê a subordinação do “negociado sobre o legislado”, atirando por terra as poucas garantias previstas na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

A propósito da terceirização, Junior alerta que “o trabalhador terceirizado é aquele que trabalha mais, ganha menos, é demitido com o dobro de rapidez e ainda morre em maior escala“. Para ele, “terceirizar é escravizar“.

A Plenária foi parte do calendário de lutas contra as reformas da previdência, trabalhista e contra a terceirização que o atual governo pretende implementar. A FNP também se somou às atividades, que são uma preparação para a greve geral que está sendo construída para o dia 28 de abril em todo o país.