Movimento

Currently browsing: Movimento
  • Chacina em Pau D’Arco vitimiza dez posseiros

    Por: Luiz Henrique, de Belém, PA

    Há um ditado em terras paraenses de que “o Pará é terra sem lei”. A sabedoria do povo é precisa, a impunidade é soberana na nossa região. Com altíssimas taxas de homicídio, as quais na sua esmagadora maioria não são investigadas, a violência e os assassinatos são parte da vida cotidiana das pessoas. No campo, a situação piora. Revezando-se com o Mato Grosso, o Pará está sempre na liderança de mortes na área rural. Em sua maioria, são posseiros, lideranças sem terras ou de trabalhadores rurais que têm suas vidas ceifadas pelo  latifúndio e o agronegócio na Amazônia.

    Na manhã do dia 24 de maio, policiais militares e civis da Delegacia de Conflitos Agrários (DECA) adentraram na Fazenda Santa Lúcia, localizada no município de Pau D’Arco, sudeste do Pará, cumprindo 16 mandados de prisão preventiva, e assassinaram nove homens e uma mulher (Jane Julia de Oliveira, Presidente da associação de camponeses do local). A suspeita que há, é de crime de vingança, dado que um segurança da fazenda (nome bonito para “pistoleiro”) foi assassinado um mês atrás. As Fazendas Santa Lúcia, Cipó e Pantanal são reivindicadas pelos posseiros para a realização de Reforma Agrária, e vinham sendo ocupadas desde 2015. Segundo o movimento camponês, essas terras foram griladas, e sua maior parte, originalmente pertenciam ao próprio Estado.

    A ação da Polícia vem sendo defendida pelos principais meio de comunicação locais e nacionais, pois segundo a versão oficial, houve um “confronto”, onde os policiais foram recebidos com tiros. A problemática levantada é que não há nenhum indício de que estes tiros foram realmente disparados, e nenhum policial saiu ferido.

    Enquanto isso, há nítidos sinais de execução no corpo das vítimas, com perfurações na cabeça, nas costas e no peito. As armas, apresentadas pelos policiais, são de fabricação caseira, comumente utilizadas em caças, tendo até uma de chumbinho no meio delas. O local do crime foi completamente alterado pelos policiais, os quais removeram os corpos, antes mesmo da chegada do Instituto Médico Legal, inviabilizando a perícia de ser feita. Segundo, três sobreviventes conseguiram escapar, mas os posseiros estavam acampados sob uma lona, quando a polícia chegou atirando em todos, sem chance de defesa.

    A chacina brutal é mais um episódio sangrento da luta pela terra, onde o Estado comete uma grave violação contra os direitos humanos, assassinando uma dezena de lutadores, enquanto protege o latifúndio na região. É inevitável a lembrança do Massacre de Eldorado dos Carajás, também ocorrido no Sudeste do Estado. Passados vinte e um anos do assassinato de dezenove sem terras pela PM do Pará, a chacina de Pau D’Arco repete a triste história.

    É necessária a imediata apuração dos fatos e a punição dos culpados. Tanto a Polícia Civil, quanto a Militar são inteiramente responsáveis pela operação, assim como o Secretário de Segurança Pública, general Jeannot Jansen, e o governador, Simão Jatene (PSDB). Estes assassinatos são mais um capítulo da truculência da Polícia Militar do Pará, e da falta de políticas públicas para a realização de Reforma Agrária por parte do governo estadual e também do federal, de Michel Temer (PMDB), dado o corte no orçamento do INCRA e a total paralisação na criação de assentamentos rurais no país.

    Foto: Reprodução RBATV OFICIAL

  • 24M|A necessidade de autodefesa

    Por: Gibran Jordão, coordenador geral da Fasubra e da Executiva Nacional da CSP-Conlutas

    A luta de classes no país começa a ficar cruenta. Os governos sabem da inevitabilidade da revolta diante dos ataques. Por isso, para aplicar os planos de austeridade, saquear direitos sociais e democráticos estão endurecendo e pesando a mão. A burguesia quer avançar com sua ofensiva, ou sim, ou sim.

    O golpe de cassetete na cabeça de Mateus, em Goiânia, no dia da greve geral, a recente chacina dos Sem Terra no Pará, o senhor que foi ferido por bala de metal estando entre a vida e a morte e o ativista que teve a mão decepada no Ocupa Brasília são exemplos do que queremos dizer sobre a necessidade de autodefesa.

    Há momentos nas lutas sociais que os interesses antagônicos entre as classes não permitem mais margens de manobra para a mínima negociação. Tudo se inflama e algum dos lados vai sofrer uma derrota histórica.

    A greve geral e o Ocupa Brasília provou que podemos derrotar a ofensiva contra nossos direitos. Nessa conjuntura imediata, estamos reequilibrando o tabuleiro. É possível derrotar as reformas e derrubar Temer.

    Temer e o Congresso se encontram muito desmoralizados, podem até se recuperar, mas a tendência geral não é essa. Governo e Congresso seguem em franca crise.

    Ganha peso a obrigação das centrais sindicais convocar uma nova greve geral. Eis o momento das mascaras caírem.

    Quero parabenizar todas as organizações e ativistas independentes que fizeram um bom combate, desmoralizando o choque e assustando o governo Temer, que tomou uma decisão precipitada em decretar o estado de emergência que expôs novamente a divisão entre as frações burguesas.

    As imagens abaixo são de enfrentamentos que o pelotão unificado da educação federal fez na Esplanada dos Ministérios nessa quarta-feira. Parabéns aos envolvidos e a todas as organizações e grupos que contribuíram.
    Protegemos os trabalhadores que vieram manifestar em Brasilia e resistimos, sem nenhuma baixa, à violência policial.

    A autodefesa é uma necessidade diante da violência da burguesia contra os trabalhadores. Querem que paguemos a conta da crise econômica na base do cacete.

    Todas as centrais, sindicatos e movimentos sociais que ainda não se localizaram sobre a necessidade da autodefesa, precisam se atualizar urgentemente para os próximos enfrentamentos.

    Panfletos e bandeiras não são mais os únicos materiais. São precisos mais escudos, mais vinagres e mais capacetes.

    18620205_10211614611733339_2257667681746016533_n 18740191_10211614613973395_1832774017111813117_n 18670925_10211614613613386_7291733660319249868_n 18664477_10211614613413381_5428792859259864114_n18670948_10211614611293328_9134232287449191843_n

  • Repressão e Violência da PM em Brasília 

     

     

    A repressão em Brasília começou ainda na estrada. Muitos ônibus foram parados e revistados na estrada, a PM confiscou os cabos das bandeiras alegando que isso era um material potencialmente ofensivo.

    Ainda na caminhada em direção à Esplanada dos Ministérios a Polícia mostrou o que verdadeiramente era o material ofensivo, jogou gás lacrimogênio e spray de pimenta na tentativa de conter os manifestantes pelo caminho. Não conseguiram, venceu a multidão.

    Na chegada ao gramado a repressão foi ainda mais forte. Estabeleceu-se um cenário de guerra contra o povo. De um lado, policiais armados com centenas de recursos, cavalaria, bombas de gás, balas de borracha, protegidos com mascaras profissionais, escudos e roupas especializadas. De outro pessoas comuns, professores, metalúrgicos, trabalhadores da saúde, estudantes, etc.

    O resultado é que várias pessoas estão feridas pela total arbitrariedade da Polícia e dos Governantes, que são obviamente responsáveis por todas as ações da PM.

    Um garoto foi baleado na nuca, foi usada uma arma letal portanto. Vejas as fotos do atendimento médio do manifestante:

    WhatsApp Image 2017-05-24 at 15.36.26 WhatsApp Image 2017-05-24 at 15.39.31

    Neste vídeo você pode ver uma mulher ferida na cabeça:

    Há muitos outros feridos pela arbitrária e violenta repressão da PM. Veja as fotos:

     

    Francisco Ponder Midia Ninja

    Fotos: Francisco Proner / Mídia NINJA

    18620340_895516703939809_797142670050548038_n

    18622524_895518537272959_225884244895556839_n

    18670979_895563690601777_7478175087033561654_n

     

     

     

     

  • #OcupaBrasília A marcha começa com muita força e unidade

    Da Redação

    A concentração durou toda a manhã nos arredores do Estádio Mané Garrincha, muitos ônibus ainda estão chegando, mas por volta das 12 horas as grandes colunas da marcha já se formaram.

    Neste momento os manifestantes caminham em direção à Praça dos Três Poderes, são cerca de 5 km de caminhada.

    A unidade é muito grande, trabalhadores de todas as áreas, do serviço público e privado, professores, metalúrgicos, petroleiros, rodoviários, agentes penitenciários, jovens, trabalhadores do campo e da cidade, sem teto, sem terra, um número incontável de categorias.

    Por toda a marcha é possível escutar os gritos contra Temer e as reformas.

    A política parou mais de 100 ônibus nos arredores da capital, recolhei cabos de bandeiras, tentou intimidar manifestantes. Não adiantou o ato saiu com força e bastante impacto.

    Toda a grande imprensa está até o momento silenciosa. Globo, Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, Rede Record até agora não disseram nenhuma palavra. A única exceção foi o Jornal Hoje da Globo, mas o centro da cobertura foi uma suposta “confusão” ocorrida na Marcha. Na própria imagem veiculada pelo jornal vê-se a truculência policial tentando impedir com gás de pimenta a entrada dos manifestantes na Esplanada dos Ministérios.

    O ato segue firme, as primeiras colunas já chegaram na Esplanada.

    Você acompanha aqui no Esquerda Online cada passo.

    Foto: Daniela Orofino. Mídia Ninja.

  • Ocupa Brasília: Últimas orientações das Centrais Sindicais

    *RELATÓRIO DA REUNIÃO DAS CENTRAIS HOJE NA NOVA CENTRAL*
    Reunião das Centrais
    Presentes : 09 Centrais e Movimentos Sociais

    Informações sobre a Marcha:

    Ocorreu uma reunião ontem com o secretário de segurança de Brasília, Chefe da Casa Civil , Comando da Polícia Militar e representantes das Centrais Sindicais.

    Área liberada – Estádio Mané Garrincha

    Foi imposto pelo representantes do governo revista aos participantes da marcha, será montado um esquema pela PM, próximo a rodoviária.

    Só passarão pela barreira montada os 3 caminhões de som registrados pelas centrais.

    Haverá vários pontos de distribuição de água mineral nas proximidades da manifestação.

    300 banheiros químicos serão colocados a disposição, 200 nas proximidades do ginásio e estádio e 100 próximo a esplanada .

    O Ginásio de Esportes Neon Neves foi liberado para ponto de apoio para aqueles que quiserem tomar banho.

    O ato de amanhã está potencializado pela atual conjuntura do país, portanto é preciso que todos os participantes compreendem que não existe total segurança para o que poderá acontecer. Esse é o sentimento da maioria dos organizadores.
    Irão se integrar na marcha, policiais civis, policiais federais, policiais rodoviários federais.

    A partir de 12:00 de hoje está permitindo armar as tendas nas proximidades do ginásio de esportes, e do estádio de futebol Mané Garrincha.

    Estacionamento para os ônibus será na área do estádio Mané Garrincha.

    Não será permitido o uso de pau de bandeira, e tubo PVC , a PM estará intervindo caso algum integrante esteja portando.

    Serão 3 caminhões de som: principal ficará posicionado no local do ato.
    Os outros dois seguirão junto com a marcha. Precisará se credenciar para subir e realizar falações, que serão feitas via representantes das Centrais que estarão em cima dos carros.
    Haverá falações durante todo o trajeto da marcha.

    Os presidentes das centrais falarão na abertura e no fechamento do ato.

    Esquenta: a partir de 04:00 hrs.
    Concentração: a partir das 11:00 hrs
    Saída : entre 13:00 e 14:00 hrs
    Início do ato : 16:00
    Encerramento do ato: 18:30 hrs.

    ULTIMAS ORIENTAÇÕES ( atualizado na parte da noite)
    Reunião das centrais.
    23/05 – terça feira na sede da Nova Central.

    Chegada das delegações e roteiro:

    Na reunião das Centrais Sindicais realizada na presente data em Brasília, definiu-se que o horário de concentração no estádio Mané Garrincha será 11h e o comando do ato estabelecerá o horário de saída da Marcha com certo grau de flexibilização, a partir da avaliação do horário de chegada dos caravaneiros de todo o país.

    O Ginasio Nilson Nelson a partir de hoje as 20hs eetará aberto para banho.

    Nesse sentido, orientamos os caravaneiros a chegarem ao local da concentração até às 11h.

    Haverá pontos de distribuição de água pelo caminho e banheiros.

    Orientamos que almocem e lanchem na estrada. Como também leve lanche na bolsa e mochila. Preparar para uma atividade que vai durar o dia todo. Haverá tendas e ambulantes vendendo lanches.

    A previsao de termino é final da tarde com falações.

    Segurança

    Na altura da rodoviária haverá um cinturão de revista feita pela policia e, após a passagem por ele, a Marcha segue em direção à Esplanada dos Ministérios, não será aceito canos e paus para cartaz, faixas e bandeiras.

    Haverá banheiros e pontos de distribuição de água por todo o caminho.

    Haverá um aparato de ambulância e brigadistas para acompanhar a marcha.

    Há uma equipe de advogados a disposição.

    Direçao do ato

    As centrais sindicais estarão no comando do ato. Sao tres carros de som que terao acesso a esplanada dos ministerios.

    Sao 9 centrais. 5 membros de cada central terao crachas para ter acesso ao carro de som principal. Mais 1 assessor de imprensa de cada central também.

    Nos outros carros de som a imprensa poderá ficar, mas precisam se cadastrar.

     

  • Curitiba: juventude e trabalhadores rumo ao ocupa Brasília

    Por Marcello Locatelli, de Curitiba, Paraná

    Nesta manhã (23), partiu do estado do Paraná, 48 ônibus rumo a marcha ocupa Brasília. Trabalhadores e jovens decididos a ser parte ativa desta importante mobilização nacional contra as reformas e o governo ilegítimo de Michel Temer.

    Entre as pessoas mobilizadas é forte o sentimento de unidade para derrotar este governo. Todos e todas, estão preparados e preparadas, para enfrentar a truculência deste governo e do Congresso Nacional.

    A experiência de repressão vivida na mobilização em Brasília na ocasião da votação da PEC 55 deixou lições ao movimento dos trabalhadores. Desta vez a preparação para as possíveis dificuldades neste terreno é maior, a organização desta marcha prevê truculência do aparato repressivo do governo. Se isto se confirmar, ficará nítido para todo país a natureza reacionária deste governo que está suspenso no ar.

    Dentre as reivindicações estão: Fora com as reformas; Fora Temer, diretas já é eleições gerais. O MAIS, levanta que é urgente todas as centrais, frentes,  movimentos e organizações dos trabalhadores trabalharem imediatamente por uma nova greve geral e pelo fortalecimento e ampliação da frente única dos trabalhadores. Este é o método que pode dar mais força ao movimento de massas.

    Somos otimistas quanto a disposição em construir uma forte marcha que possa ter incidência positiva a favor da nossa classe. Não podemos nos iludir, os setores burgueses e imperialistas que agora querem derrubar Temer, querem ter um governo mais forte pra aplicar os ataques. A saída que tenta se construir via Lava Jato, Judiciário e grande mídia é ainda mais inclinada à direita reacionária, visa restringir ainda mais as liberdades democráticas à nossa classe.

    O único caminho progressivo só pode vir das mãos dos trabalhadores que hoje lutam para derrubar este governo.

  • Veja as últimas orientações para a Marcha em Brasília

    Da Redação.

    Publicamos o relatório da Reunião das Centrais ocorrida hoje em Brasília:

     

    ULTIMAS ORIENTAÇÕES

    Local e Horário
    23/05 – terça feira na sede da Nova Central.

    Chegada das delegações e roteiro:

    Na reunião das Centrais Sindicais realizada na presente data em Brasília, definiu-se que o horário de concentração no estádio Mané Garrincha será 11h e o comando do ato estabelecerá o horário de saída da Marcha com certo grau de flexibilização, a partir da avaliação do horário de chegada dos caravaneiros de todo o país.

    • O Ginasio Nilson Nelson a partir de hoje as 20hs eetará aberto para banho.
    • Nesse sentido, orientamos os caravaneiros a chegarem ao local da concentração até às 11h.
    • Haverá pontos de distribuição de água pelo caminho e banheiros.
    • Orientamos que almocem e lanchem na estrada. Como tb leve lanche na bolsa e mochila. Preparar para uma atividade que vai durar o dia todo. Haverá tendas e ambulantes vendendo lanches.
    • A previsao de termino é final da tarde com falações.

     

    Segurança

    • Na altura da rodoviária haverá um cinturão de revista feita pela policia e, após a passagem por ele, a Marcha segue em direção à Esplanada dos Ministérios, não será aceito canos e paus para cartaz, faixas e bandeiras.
    • Haverá banheiros e pontos de distribuição de água por todo o caminho.
    • Haverá um aparato de ambulância e brigadistas para acompanhar a marcha.
    • Há uma equipe de advogados a disposição.

     

    Organização do ato

    • As centrais sindicais estarão no comando do ato. Sao três carros de som que terão acesso a esplanada dos ministérios.
    • Sao 9 centrais. 5 membros de cada central terão crachás para ter acesso ao carro de som principal. Mais 1 assessor de imprensa de cada central também.
    • Nos outros carros de som a imprensa poderá ficar, mas precisam se cadastrar.
  • 24 de Maio: Atenção ao horário de concentração da CSP-Conlutas para a Marcha

    À

    Todas as entidades e movimentos da CSP-Conlutas e demais parceiras

    Companheiras (os),

    Na última reunião que ocorreu entre as centrais houve uma reivindicação de algumas delegações de que a Marcha comece por volta das 11h00 e diferente do que estava inicialmente marcado a saída deve acontecer próximo desse horário.

    Sendo assim, estamos marcando a concentração das delegações da CSP-Conlutas para a partir das 09h00 no Estádio Mané Garrincha. Haverá uma tenda da Central (identificada) que será o nosso ponto de referência e de distribuição dos nossos materiais visuais como bandeiras, coletes e etc.

    Qualquer dúvida, entrar em contato com Zanata (11) 95488-0190 ou Alexandre (11) 98820-1798

    Saudações de Luta,

    Secretaria Nacional CSP-Conlutas – Central Sindical e Popular
    (11)3107-7984/(11)99163-7537
    www.cspconlutas.org.br

  • Protesto em frente à Casa de Rodrigo Maia pediu saída de Temer e eleições diretas , no Rio

    Da Redação

    Neste domingo (21), aconteceram protestos em todo o país para pedir a imediata saída do presidente Michel Temer (PMDB) da Presidência da República. No Rio de Janeiro, a manifestação aconteceu em frente à casa do presidente da Câmara dos deputados Rodrigo Maia (DEM). Maia é o primeiro nome na ordem de sucessão, caso haja o impedimento do peemedebista. O lugar da manifestação foi escolhido para também exigir o chamado imediato de eleições diretas.

    O movimento foi convocado pela Frente Povo Sem Medo  e outras organizações dos movimentos sociais. MTST, CUT, CTB, CSP-Conlutas, entre outras entidades, compuseram o protesto. O membro da associação de moradores da Rocinha foi um dos encarregados por tentar falar com Maia. Os funcionários do prédio, no entanto, informaram que ele não estaria presente. A manifestação contrastava com os carros blindados que saíam do prédio. Ao final, foi servida uma feijoada, na calçada, para lembrar o encontro com o mesmo cardápio em reunião com a base aliada do governo, ao mesmo tempo em que surgiam as notícias sobre o escândalo.

    As manifestações que acontecem pelas cidades brasileiras e em alguns outros países se fortaleceram a partir das notícias sobre a participação de Temer em escândalo de corrupção. Uma gravação do empresário da JBS mostra o peemedebista na tentativa de calar o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB). O presidente concedeu dois pronunciamentos oficiais, onde afirmou que não irá renunciar. No entanto, já não tem sustentação desde a base aliada, até o pedido das ruas, que reforçam a impopularidade do seu governo e de suas reformas. Antes mesmo das denúncias, gozava de 71% de rejeição.