Servidores da saúde lançam Frente em Defesa dos Hospitais Federais

Por: NOS, Rio de Janeiro, RJ

Frente ao sucateamento da rede federal e à possível entrega das gestões dos hospitais às Organizações Sociais (OS), entidades privadas de saúde, os servidores da saúde federal lançaram nesta segunda-feira (10) a Frente em Defesa dos Institutos e Hospitais Federais do Rio de Janeiro. A atividade aconteceu no Hospital Federal do Andaraí, onde os profissionais de saúde denunciaram as condições de trabalho e o fechamento de leitos que está atingindo diversos hospitais federais e estaduais no Rio de Janeiro.

O ministro da saúde Ricardo Barros, sem formação na área da saúde, mas escolhido para ser o ministro de Michel Temer (PMDB), poderia já estar negociando a entrega dos hospitais à gestão privada, garantem os servidores, dado que já se teria iniciado “um processo mais intenso de sucateamento da rede” – utilizando-se a desculpa de que o “público não funciona”, principal argumento para a entrega da gestão à entidades privadas, alegam.

Colapso na rede estadual
Por outro lado, as organizações sociais sofrem dezenas de acusações de corrupção, desvio de verba e assédio e perseguição política de trabalhadores das unidades. Na semana passada, o Hospital Estadual Getúlio Vargas, por exemplo, gerido por uma organização social, demitiu mais de 50 médicos e milhares de pessoas com atendimento comprometido.

“De fato é um tripé de destruição da saúde essa reestruturação… Ele fez o tripé: emergência do HFB fechada, isso aumentou a fila da emergência no Getúlio Vargas, e faz parte do projeto de reestruturação da saúde fechar leitos e clínicas no Hospital Getúlio Vargas, que é a proctologia, e encaminhar a demanda pro [Hospital] Pedro Ernesto. Ora, que compromisso humano tem esse sujeito pra encaminhar mais demanda pro Pedro Ernesto se não sabe o hospital vai abrir as portas e os servidores com salário atrasado?!”, questiona Cíntia Teixeira, nutricionista.

Comentários no Facebook

Post A Comment