Burocracia da CUT não quer reconhecer vitória de adversário em núcleo do Cpers

Por: Noé Oliveira, de Porto Alegre, RS

Nos dias 27 e 28 de junho, ocorreram as eleições do Centro dos Professores do Estado Rio Grande do Sul (Cpers/Sindicato) para a Direção Central e para os 42 núcleos.

No 14º núcleo, em São Leopoldo, foi uma das eleições mais tensas. Desde o primeiro dia de eleição, muitos sindicalistas ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de fora da categoria criaram um clima de tensionamento e pressão.

A apuração começou dia 28 à noite. Devido às várias tensões, foi interrompida várias vezes. Dia 29, ao final da tarde, devido a quantidade de pessoas de fora da categoria do magistério estadual dentro da sede do 14º núcleo, a atual direção do núcleo resolveu trancar a porta por alguns momentos para garantir a ordem.

Dessa forma, o clima de tensão piorou. Foi feito acordo entre as chapas estaduais que definiu que os votos contendo apenas uma rubrica fossem validados. Percebendo a derrota, integrandes da chapa 2 (PT/CUT) se retiraram do local.

A sub-comissão eleitoral prosseguiu a contagem dos votos, confirmando a vitória da chapa 1 por 14 votos de diferença. Assim, a chapa 2 não quer reconhecer a derrota e o acordo firmado em nível estadual, pedindo a anulação da eleição no 14º núcleo.

*“ Esse artigo representa as posições do autor e não necessariamente a opinião do Portal Esquerda Online. Somos uma publicação aberta ao debate e polêmicas da esquerda socialista”.

Comentários no Facebook

Post A Comment