Precisamos falar de justiça

Por: Carlos Daniel, Colunista do Esquerda Online

Ontem, enquanto estava mobilizado no piquete do ibama/SP, meu local de trabalho, fui surpreendido com a notícia da prisão do professor Altemir.

O companheiro foi preso sob alegação de que estava atrapalhando a ordem pública. Estava também num piquete em Porto Alegre, lutando contra as reformas e contra este governo golpista.

No final do dia, vendo a arbitrariedade da prisão, um juiz de primeira instância emitiu alvará de soltura. Mesmo assim, Altemir dormiu na cadeia.

Ontem, também durante o piquete do Ibama, fui surpreendido com a decisão da corte constitucional, STF, de retorno de Aécio Neves ao Senado Federal.

O ministro do Supremo Marco Aurélio, primo do ex-presidente Collor, entendeu que não pesavam contra Aécio fatos que pudessem impedi-lo de trabalhar, neste caso, de criar leis, alterar a CLT, a previdência e até mesmo a Constituição.

O fato de Aécio ter recebido malas de dinheiro, ter sido gravado afirmando que antes que o informante delatasse, ele matava, não tirou, para a Corte Constitucional brasileira, o direito do bandido Aécio de fazer leis.

Mais ainda, o Senado Federal recebeu imediatamente a ordem judicial, da mesma justiça brasileira que deixou um professor com ordem de liberdade dormir na cadeia.

Hoje, chegando em Belo Horizonte para um curso LGBT, não pude deixar de lembrar que Rafael Braga apodrece no cárcere por conta de uma garrafa de pinho Sol, mas Rocha Loures, empresário corrupto, foi solto.

Contra fatos não há argumentos, nem mesmo a mais brilhante tese jurídica pode me dissuadir da firme ideia de que o Poder Judiciário é somente mais uma face deste sistema podre que devemos destruir.

Liberdade imediata pra Altemir e Rafael Braga.

Pelo fim da criminalização dos lutadores e do povo pobre.

Por uma revolução para mudarmos o sistema que nos mata, oprime e explora.

Comentários no Facebook

Post A Comment