‘Itabuna pela vida das mulheres’: atividade vai denunciar casos de estupro coletivo em Itabuna, BA

Da Redação

Será realizada, nesta segunda-feira (12), em Itabuna, BA, das 14h30 às 17h, a atividade “Itabuna pela vida das mulheres”, para denunciar os casos de estupros coletivos sofridos na cidade. Será no Sindicato do Magistério Itabunense, na Av. Manoel Chaves. Divulgamos a nota do movimento, na íntegra, onde são denunciados os abusos:

Nota ‘Itabuna pela vida das mulheres’

Na ultima quinta-feira, dia 1° de junho, a população de Itabuna foi surpreendida com mais um caso de estupro coletivo contra uma adolescente. A vítima foi dopada e violentada por colegas de escola, que filmaram a agressão e veicularam nas redes sociais. Este já é o segundo caso que veio a público em menos de três meses e que revela uma situação diagnosticada cotidianamente pelos professores: a violência de gênero tem se ampliado entre um público cada vez mais jovem.

Essa situação não está deslocada da realidade nacional. O Brasil é o 5° país no ranking de violência no mundo e a Bahia está entre os estados líderes nessas estatísticas. Em 2016, o relatório baiano de violência contra mulher apontava Itabuna como a 2° cidade mais violenta a partir dos dados dos três primeiros meses do ano, perdendo apenas para a capital, Salvador.

Para combater este problema, movimentos sociais lutaram para incluir o debate de gênero nas escolas, através do Plano Nacional de Educação (PNE). Mas, a proposta foi retirada do plano no ato de sanção da presidente Dilma, em 2012. A ação também se repetiu como uma caça às bruxas, por partes de partidos conservadores, como o PSC de Bolsonaro e Feliciano, tanto na aprovação dos planos estaduais, como nos municipais.

O Comitê em Defesa de Educação Publica de Itabuna, movimentos sociais e feministas, professores e populares que assinam esta nota, repudiam qualquer ato de violência machista contra as mulheres, e solidarizam-se com as vítimas dessa violência. Nada justifica tamanha violência e nenhuma vítima pode ser responsabilizada pela agressão sofrida.

No intuito de combater efetivamente o problema, acreditamos que a secretaria de educação municipal de Itabuna e a secretaria de educação da Bahia precisam se responsabilizar por esta situação. Não podemos nos contentar com ações pontuais dos movimentos feministas em parceria com as escolas, tão pouco com a ação isolada de professoras e professores consciêntes.

Para tanto, convidamos a todas e todos que estão sensíveis e preocupados com esta situação a participar da plenária “Itabuna, pela vida das mulheres” que acontecerá na próxima segunda-feira 12 de junho, as 14:30 horas, no auditório do SIMPI ( Av. Manuel Chaves, São Caetano). Vamos organizar a mobilização social em defesa desta Luta!

“Por um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livre” Rosa Luxemburgo

Evento no Facebook

Comentários no Facebook

Post A Comment