Se você pensa em apoiar Bolsonaro, saiba que não será para combater a corrupção

Por Edgar Fogaça, de Natal/RN.

Os últimos escândalos de corrupção, envolvendo o dono da transnacional JBS e diversos políticos da alta cúpula, incluindo o presidente ilegítimo, Michel Temer, fizeram Brasília tremer.

São mais de 1mil parlamentares, ministros e até procuradores envolvidos em diversos crimes, incluindo tentativas de barrar as investigações contra os seus pares e sempre valendo-se do dinheiro público para as suas negociatas, com criativas formas de propina e favorecimento de empresas em contratos e parcerias com o Estado. Este é mais um capítulo da crise política nacional, que já se arrasta há alguns meses e promete muitos desdobramentos.

Contudo, alguns ficaram surpresos com a denúncia envolvendo o deputado federal Jair Bolsonaro, na qual Joesley Batista, o empresário delator (da JBS), alega ter transferido R$ 200mil para a campanha do parlamentar, em 2014. O deputado, que sempre se gabou de combater a corrupção, agora não consegue explicar a propina que recebeu.

Entenda como Bolsonaro recebeu da JBS

Em delação entregue ao STF pelo presidente-todo-poderoso da gigante JBS, restou comprovado que o parlamentar recebeu R$ 200 mil da empresa para a sua campanha a deputado federal pelo RJ em 2014, quando ainda era do PP. E mais, tentou valer-se de uma manobra contábil para esconder os valores.

Conforme áudios e documentos coletados na investigação da PGR, o deputado orientou que o dinheiro que seria alcançado pela empresa para apoiar a sua campanha deveria ser doado ao seu partido. Assim, recebeu o dinheiro de forma indireta, buscando esconder as pistas de quem o apoia e financia, neste caso um empresário corrupto.

Parecia uma ótima ideia: orientar a empresa para que doasse ao partido, que faria o repasse direto a sua campanha pessoal.

Mas quando o empresário-corrupto-delator resolveu abrir o bico, a máscara de Bolsonaro caiu.

Ele, que até então buscava ser o exemplo nacional contra a corrupção, agora não consegue explicar a propina que o beneficia.

Apesar das denúncias contundentes estamparem os principais veículos de comunicação do país, a sua página oficial, até a publicação deste artigo, simplesmente não faz nenhuma menção ao caso, em evidente tentativa de esconder a denúncia.

De defensor e paladino da ética e contra corrupção, o deputado agora se encontra acuado e sem justificativas para o caso.

Um filhote da ditadura

Aguerrido defensor das Forças Armadas, um verdadeiro órfão da ditadura militar, o deputado costuma ressaltar que o caminho para “limpar” o país da corrupção, seria a volta de um governo ditatorial e militar. Deixando de citar os milhares de casos de corrupção que já foram comprovados durante a ditadura, bem como o fato de que a maioria das empresas hoje envolvidas em escândalos também foram a base de sustentação daqueles governos, o corrupto buscava ser identificado como um político diferente, daqueles que não aceita dinheiro, tampouco está envolvido com a corrupção.

Mas a farsa acabou.

O deputado vem ganhando destaque nas mídias e redes sociais nos últimos anos e figura entre os primeiros colocados nas pesquisas de intenção de voto para presidente em 2018. Surfando em um momento de enorme desilusão com os políticos e partidos tradicionais, Bolsonaro faz discursos fortes, atacando as minorias e destilando ódio contra os partidos e movimentos de esquerda. Debochado, machista, extremamente racista, o deputado é famoso por falar alto e não admite ser interrompido. É um exemplar da Idade Média, que parece ter saído de uma caverna, diretamente para o Planalto.

Não raro, o deputado esteve envolvido em manifestações que pediam a volta da ditadura, que ovacionavam as ações criminosas da polícia e grupos de extermínio, que pediam a morte de imigrantes, dentro e fora do país…este indivíduo chegou ao absurdo de, ao votar pelo impedimento de Dilma, discursar ressaltando o nome do torturador da ex presidente. Suas ações demonstram que ele é contra os LGBTTs e já comparou os negros àqueles renegados por Deus. Diversas vezes discursou e promoveu ações contra o aborto e o uso de drogas, além militar contra a demarcação de terras indígenas no país.

Aliado de primeira hora do governo ilegítimo, um dos primeiros a se insurgir contra o governo Dilma, agora aguarda silente o desenrolar dos crimes de Temer.

Nenhum apoio a Bolsonaro

Em outro artigo, Lucas Fogaça apontou 5 motivos importantes pelos quais Bolsonaro é contra os trabalhadores e aliado de Temer. Mas a cada dia esta lista cresce.

Este é o terreno de Bolsonaro: discursos fortes contra as minorias, ódio aos pobres e aos partidos e organizações de esquerda. Aliado da repressão e contra as liberdades individuais e democráticas.

Alguns consideram este um mal menor, pois ecoam seus interesses políticos contra as pautas da esquerda e contra a democracia. Já outros, apoiam o corrupto em forma de brincadeira, algo no entorno de uma áurea de um político de tipo novo, que diz o que pensa e tem coragem contra o senso comum.

Em verdade, defender Bolsonaro é defender a corrupção, a tortura, a perseguição as minorias e aos partidos de esquerda e a tentativa de impor conceitos ultra reacionários para a sociedade brasileira, como nas situações em que defendeu que as mulheres devem receber menos do que os homens; ou que os negros detêm uma propensão histórica ou uma explicação divina para a escravidão.

Muito discurso para pouco trabalho

De outro lado, o deputado jamais se destacou pela sua atuação parlamentar. Ele é bom com as suas bravatas, porém jamais se envolveu nos grandes temas da nação; prefere os bastidores, os ataques individuais desde seu gabinete e o conforto das redes sociais. Para se ter a dimensão do tamanho da ineficácia, até 2015, estando mais de 25 anos no congresso nacional e sempre aliado dos governos da vez, teve apenas 1 (UMA) emenda aprovada, versando sobre a emissão de recibos na urnas de votação eletrônica.

Em verdade, o deputado usa o dinheiro do mandato para percorrer o país e difundir seus discursos de ódio, em permanente campanha à presidência da República, pelas pautas da direita e contra o povo pobre e trabalhador.

Somente nos primeiros 4 meses deste ano, gastou mais de R$22mil dos cofres públicos, financiando  suas viagens de campanha pelo país, conforme apurou reportagem da Folha. Isto sem somar salários, verbas de gabinete, despesas com alimentação, transporte, etc…todas financiadas com o dinheiro público.

Esta conduta é proibida pela legislação, sendo mais um crime do deputado corrupto.

Discurso forte contra as minorias, fala mansa com os corruptos

O deputado corrupto é conhecido por atacar as mulheres repórteres nos corredores do Congresso Nacional e ameaçar outros parlamentares. Porém, fala fino com os corruptos, tanto aqueles do parlamento quanto os empresários.

Jamais se ouviu um discurso contundente contra a corrupção do PSDB, PP, do DEM ou do seu atual partido, o PSC. Nunca se ouviu ele defender o aumento do salário mínimo, ou mais investimento em saúde, transporte público e educação.

Jamais este deputado discursou ou fez qualquer intervenção pública em favor dos trabalhadores e trabalhadoras, contra as reformas trabalhista, previdenciária, ou a lei da terceirização irrestrita. Escondido em uma retórica forte, valendo-se de diversos recursos linguísticos e até ataques pessoais contra os seus interlocutores, foge dos debates, deixa em aberto uma série de lacunas em suas propostas e segue sua trajetória contra os negros, os LGBTTs, as mulheres, os pobres e os trabalhadores.

Bolsonaro é inimigo de quem trabalha, ele odeia os pobres!

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Comentários no Facebook

Post A Comment