Duas saídas para a crise brasileira

Gabriel Casoni, da Secretaria Política do MAIS

O governo Temer acabou. Tudo agora se resume em como será a queda do golpista e seus desdobramentos imediatos. Estamos perante um momento extraordinário, de desenlaces imprevisíveis.

A questão fundamental, no presente momento, é a luta política em torno da saída para a brutal crise instalada. Duas alternativas estão em disputa.

Tudo indica que a linha da classe dominante é a defesa de eleições indiretas no Congresso, com a nomeação de um interino ‘técnico’, possivelmente vindo do Judiciário.

Especula-se na grande mídia o nome da presidente do STF, Cármem Lúcia, e também do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Ambos dariam sequência às reformas que destroem direitos sociais e trabalhistas.

Contra a saída da direita, é preciso apresentar a alternativa dos trabalhadores e da esquerda. Não podemos deixar nas mãos da burguesia e desse Congresso ilegítimo o desfecho da crise.

Para isso, de imediato, é preciso ocupar as ruas em todo país e convocar nova Greve Geral! As centrais sindicais não podem vacilar: é necessário marcar a paralisação geral imediatamente.

Pela força da mobilização dos trabalhadores e da juventude, é possível impor eleições diretas e gerais, já! Não podemos permitir que esse Congresso de bandidos defina o novo presidente. É hora de enterrar as Reformas da Previdência e Trabalhista, para garantir todos os direitos.

Com o povo na rua, vamos construir uma saída pela esquerda, com um programa anticapitalista para mudar de verdade o Brasil!

É tempo de ocupar as ruas!

Fora Temer e suas Reformas.

Todos à Brasília dia 24!

Por uma nova Greve Geral Já.

Não aceitaremos um Governo do STF.

Eleições Gerais e Diretas, Já.

Construir a Frente de Esquerda e Socialista!

Por um governo dos trabalhadores e do povo!

Comentários no Facebook

Post A Comment