‘Depois do golpe’: não perca o lançamento do novo livro do historiador Felipe Demier

Lançamento acontece esta semana, na cidade do Rio de Janeiro

Da Redação

folder (1)

O historiador e professor da FSS/UERJ Felipe Demier lançará, nesta semana, seu novo livro. “Depois do golpe: a dialética da democracia blindada no Brasil”, publicado pela Mauad editora, oferece elementos para uma interpretação marxista das transformações mais recentes no regime político brasileiro. O evento de lançamento ocorrerá na livraria Blooks, no Rio de Janeiro, na próxima quinta-feira (11).

Serviço
Lançamento do livro “Depois do Golpe”, de Felipe Demier
Data: 11 de maio de 2017 (quinta-feira)
Local: Blooks Livraria, Praia de Botafogo, 316, Botafogo, RJ

A seguir, reproduzimos a orelha e a 4a capa do livro elaborados, respectivamente, pelos professores Virgínia Fontes e Marcelo Badaró Mattos:

dsc_0147É um pequeno livro com grandes ideias. Sua tese central, a de que o golpe que propulsou Michel Temer consolida um regime novo, herdeiro da democracia liberal, mas dela diverso: o da democracia blindada. Estejamos ou não de acordo com essa hipótese forte, é fundamental observar que os procedimentos apresentados de blindagem das conquistas populares são uma característica forte dos nossos tempos, no Brasil e alhures. Aliás, vale lembrar que isso foi feito aqui de modo explícito. A mídia proprietária dominante defendeu abertamente inúmeras blindagens, realizadas pelo PSDB e pelo PT, como a do Banco Central, a do Ministério da Fazenda, e de outras parcelas do Estado. Tratou-se de isolá-las de qualquer pretensão derivada de embates e de resultados eleitorais. Fatias cada vez maiores do Estado (e de políticas públicas) foram assim subtraídas a qualquer influência eleitoral.

Felipe Demier demonstra que a questão da democracia segue relevante, daí a urgência de analisar e interpretar o regime sob o qual vivemos. Há enorme distância entre os regimes políticos que se autodenominaram “democráticos” e a reivindicação de plena e igualitária participação no conjunto das decisões que concernem à vida social, aspiração popular recorrente e que envolve, prioritariamente, a forma pela qual se organiza a vida econômica. Desde seus primórdios no século XIX, as democracias liberais burguesas seccionaram a possibilidade de manifestações populares influírem nas decisões cruciais da vida econômica e militar. A tragédia atual é o encolhimento dramático e tacanho de conquistas populares que povoaram expectativas democratizantes, com a generalização de blindagens que descolam profunda e cotidianamente o Estado e o Parlamento de qualquer expressão da vontade popular”.

Virgínia Fontes

marcelo badaróMarx nos lembrou, em seu 18 Brumário que “a tradição de todas as gerações passadas é como um pesadelo que comprime o cérebro dos vivos”. Acordamos todos os dias com a sensação do pesadelo. A crise política brasileira exige análises originais daqueles que nela enxerguem não apenas a tragédia e a farsa da democracia realmente existente no país, mas também o único terreno possível para a necessária resposta da classe trabalhadora à onda conservadora que nos tenta afogar. Felipe Demier aceitou o desafio e nos apresenta uma concisa e penetrante avaliação do Brasil pós-golpe, fazendo uso de uma categoria de análise que vem desenvolvendo há alguns anos: a “democracia blindada”. Nestes tempos em que “a escória da sociedade burguesa acaba por formar a falange sagrada da ordem” e os mortos resistem a enterrar seus mortos, Felipe Demier nos ajuda a mapear o campo minado que precisamos atravessar para colher do futuro a poesia da revolução no século XXI”.

Marcelo Badaró Mattos

Capa do livro: Pablo Henrique

Comentários no Facebook

Post A Comment