21 anos do massacre de Eldorado dos Carajás

 

Por Gizelle Freitas, de Belém.

 

Hoje, dia 17 de abril de 2017, completam-se 21 anos do massacre de Eldorado dos Carajás.

Esse dia tenebroso, que está registrado nos anais da história do Pará, assassinou 19 sem terra, nenhum policial. Mas o argumento até hoje é de que as famílias receberam os PMs numa ofensiva armada. Os vídeos mostram bem que este argumento é uma grande mentira.

Aquelas famílias carregavam o sonho de adquirir um pedaço de terra pra fazerem sua moradia, fazer a plantação, de onde tirariam seus alimentos.

O então governador do Estado Almir Gabriel (PSDB) nunca pagou por esse crime, mas todos sabemos que ele e seu partido apertaram o gatilho, esse partido que há décadas massacra nosso povo, à frente do governo do Estado do Pará.

O Pará é um dos Estados com vastos hectares de terra ociosos. Neles cresce apenas mato. Mas basta o movimento ocupar que rapidamente a “justiça” decreta reintegração de posse a favor de um poderoso empresário, de um latifundiário.

A luta por reforma agrária é necessária. Lula não fez, nem com uma canetada, como prometeu em campanha, iludiu e brincou com a esperança de tantas famílias sem terra. Preferiu se unir ao agronegócio. Obviamente, que não podemos esperar reforma agrária de um nenhum governo classicamente de direita, reacionário, inimigo do povo, como Temer.

Nesse dia 17 de abril, em diversas cidades o movimento Sem Terra está fazendo ações, fechamento de rodovias, aqui em Belém um protesto em frente ao INSS contra a reforma da previdência. E todos juntos vamos avermelhar esse mês, parar tudo no Brasil, por nenhum direito a menos, no dia 28 greve geral, e fazer um grande Abril Vermelho.

 

Foto: Sebastião Salgado

 

 

Comentários no Facebook

Post A Comment