Por um novo Cine Éden, em Ipiaú, na Bahia

Da Redação

O Esquerda Online recebeu uma contribuição que relata a campanha de artistas da cidade de Ipiaú, na Bahia, para a reestruturação do Cine Éden. Veja, abaixo, e participe da campanha:

SOBRE A CAMPANHA

Por: Edson Bastos*
*Edson é cineasta

“Percebendo que a População de Ipiaú anseia por um espaço cultural adequado para apresentações artísticas e pelo fato de existir a possibilidade de reestruturação do antigo Cine Éden, cuja fachada é tombada como Patrimônio Histórico Cultural de Ipiaú, criamos a campanha #PorUmNovoCineEden

A Cultura nesta cidade tem sido tratada de qualquer maneira, sem a devida atenção dos gestores públicos, mesmo que, de tempos em tempos, surjam movimentos reivindicando a criação de espaços culturais e de mais apoio à produção cultural local.

Sabemos que é possível realizar a reestruturação do Cine Teatro Éden, firmando uma parceria entre a Ancine e a prefeitura ou governo estadual, ou ainda através de Emenda Parlamentar de algum Deputado Federal. Nesse último caso, o movimento já teve o apoio do Deputado Federal Jean Wyllys, que se disponibilizou a ajudar a reestruturação deste cinema. Mas isso não significa a garantia da revitalização pois, pela legislação, o deputado não pode arcar sozinho com toda a reforma do espaço.

Mas o primeiro passo a ser dado é a Prefeitura de Ipiaú tornar o espaço de Utilidade Pública e desapropriá-lo, para assim receber os recursos para a reestruturação do Cine Teatro Éden.

Por isso, convidamos a toda a população, cineastas, teatrólogos, produtores culturais, artistas do Brasil inteiro, a se manifestarem junto conosco para que consigamos sensibilizar os gestores públicos municipais e estaduais, revitalizando assim o Cine Éden e com isso, garantindo que a população de Ipiaú e região ganhe um espaço cultural e os produtores do Brasil e do Mundo inteiro, tenham mais um espaço de promoção cultural para apresentarem os seus trabalhos.

Para apoiar pelas redes sociais, basta postar uma foto ou graver um video com a hashtag #PorUmNovoCineEden e acompanhar as ações na página do Facebook com o mesmo título “Por Um Novo Cine Éden”.

Num momento em que o Brasil passa por uma crise financeira, a produção cinematográfica brasileira cresce a todo vapor, além do aumento do número de construções e revitalizações do parque exibidor. É preciso aproveitar a oportunidade.

O resgate e a revitalização do acervo relacionado ao Cine Teatro Éden é de fundamental importância para preservação da memória e identidade cultural de Ipiaú, uma vez que o mesmo oferece aos interessados, sobretudo os jovens e estudantes, uma oportunidade retornar às origens da história cultural de sua cidade.

HISTÓRIA DO CINE TEATRO ÉDEN

Por volta de 1927, vinte anos após a primeira exibição pública realizada pelos irmãos Lumière no Grand Café, em Paris, o imigrante italiano José Miraglia abre as portas do Cine Éden, na cidade de Ipiaú-BA, 352 Km distante da capital, Salvador. Os filmes eram projetados na parede, com poltronas e piso de madeira bem tratado e a trilha sonora era feita por um pianista e um narrador, ao vivo.

Já em 1937, José Miraglia resolve reformar o cinema e transformá-lo num Cine Teatro. A reforma durou alguns anos. Contruiu uma fachada com referências da “art-noveau”, com 560 poltronas de madeira estavam divididas em 03 fileiras com ótima visibilidade do grande palco com piso de madeira que foi montado para a realização de espetáculos, shows e outros eventos. Foi com essa estrutura que se apresentaram Orlando Silva, Nelson Gonçalves, Ângela Maria, Wanderley Cardoso, Jerry Adriane, Raulzito e seus Panteras, dentre outros, nos palcos do Cine Teatro Éden.

Na época da reforma, em plena II Guerra Mundial, o projetor Triunpho chegou em Ipiaú por um alemão que foi instalar o equipamento no cinema. Ao chegar com uma máquina daquele tamanho, a população pensou ser uma arma para exterminar a população, o que causou o maior alvoroço na cidade.

Outros cinemas existiram na cidade, mas não se firmaram por muito tempo. “O Cine Bonfim, que se iniciou em 50, o Cine São Luiz – do padre Flamarion e o Cine Dren – Apelidado de Cine Bufa”, segundo Américo Castro. O Cine Éden consolidou-se por algum tempo, mas logo em seguida sofreu constantes mudanças em sua diretoria. Após a morte de José Miraglia, em 1961, o Cine Teatro Éden foi vendido para os irmãos Motta (João e José Motta Fernandes) e passou por nova reforma em 1962. Dessa vez foram instalados som estereofônico e dois projetores Philips FP 56 Total, com lentes anamórficas.

Justamente nessa época, às vésperas do Golpe Militar, o cinema reabre e tem como projecionista Lula Martins, ou “Pinduca” como era conhecido pela população. Lula foi o protagonista do filme Meteorango kid e criou a lendária capa do disco Acabou Chorare, dos Novos Baianos.

Posteriormente o Cine Éden foi comprado pelos irmãos Rocha (Francisco Chagas Rocha e Zito Rocha) e por fim, foi vendido à José Assis Filho, mais conhecido como Dren que comenta: “Quem investia num cinema, não perdia dinheiro, mas depois chegou a televisão e o videocassete, as pessoas não queriam mais sair de suas casas para ir ao cinema, o negócio foi dando pouco lucro, não tínhamos nenhum apoio do governo, até que eu fechei o Cine Éden e ninguém quis mais pegar”.

Assim, o povo de Ipiaú perderia sua maior opção de divertimento coletivo-cultural. O prédio foi arrendado e o espaço onde funcionou o cinema deu lugar a uma loja de móveis e eletrodomésticos, retirando toda a estrutura interior do prédio.

Conforme texto publicado no Jornal Rapatição, em agosto de 1984, a população não ficou alheia ao fechamento do Éden e de maneira organizada promoveram atos públicos, passeatas, denunciaram e conseguiram sensibilizar a Câmara de Vereadores Municipal, que, por sua vez, embargou a depredação e convocou todos os segmentos da sociedade para discutir o problema, no dia 02 de agosto de 1982, na Sede do Rio Novo Tênis Clube. Na oportunidade a prefeitura quis comprá-lo, mas o proprietário pediu pelo prédio a exorbitante quantia de 300 milhões.

A tentativa de comprar o imóvel de forma dialogada não deu certo, foi então que a população intensificou as manifestações para que, pelo menos a fachada do imóvel fosse tombada e com isso, houvesse a possibilidade de um dia reestruturá-lo. Em 1991, houve o tombamento da fachada, transformando o Cine Teatro Éden em Patrimônio Histórico Cultural de Ipiaú, mas o mesmo nunca mais retornou à sua atividade de origem, de promover shows, exibir filmes, realizar eventos, reunir a população, formar artistas e movimentar a produção cultural no interior da Bahia.

Hoje, o imóvel está vazio, disponível para ser alugado, esperando um Novo Cine Teatro Éden. O Éden constituiu um elemento importante para o desenvolvimento da cidade, uma vez que levou multidões para o local e gerou muitos empregos. Foi ainda fator importante para a construção do caráter artístico de muitos cantores, artistas plásticos, escritores, jornalistas, fotógrafos, etc… Além de fazer parte de um memorial que progressivamente é esquecido pelo Poder Público e pela população que já se habituou à ausência do direito à cultura. A cultura precisa ser revivida, praticada e reinventada. Há um cinema cheio de histórias em Ipiaú e uma população que não possui acesso a um equipamento cultural adequado. A nossa história e o Cine Teatro Éden precisam ser preservados.

Por um Novo Cine Éden!

EVOLUÇÃO DO MERCADO AUDIOVISUAL BRASILEIRO

Entre os anos 80 aos anos 2000, a produção cinematográfica sofreu um grande apagão. A televisão se tornando popular. O vídeo cassete surgiu. E os cinemas de rua desapareceram, transformando-se em igrejas, ou lojas de móveis, ou shoppings. Collor fechou a Embrafilmes.

Mas a partir de 1991, surgiu a Lei do Audiovisual para fomentar a produção cinematográfica brasileira e com isso o movimento de Retomada do Cinema Brasileiro. Já em 2001, a ANCINE – A Agência Nacional do Cinema é criada para substituir a Embrafilmes com o objetivo de fomentar, regular e fiscalizar a produção audiovisual nacional.

Em 2006 foi criado o Fundo Setorial do Audiovisual com o intuito de desenvolver a Indústria do Cinema no Brasil, chegando a mais de 832 milhões arrecadados em 2013, investidos em diversas linhas de fomento.

A ANCINE também é responsável pelo programa Cinema Perto de Você, instituído pela Lei 12.599/2012, que disponibiliza recursos para a abertura de salas por Prefeituras e Governos Estaduais, além de possibilitar instrumentos de desoneração fiscal, visando à redução dos custos dos investimentos e da operação dos complexos. Articula, também, ações regulatórias e de estímulo à digitalização, visando à ampliação das receitas e à modernização dos negócios de exibição e distribuição de cinema.

SOBRE O CINEMA PERTO DE VOCÊ

O Brasil já teve um parque exibidor vigoroso e descentralizado: quase 3.300 salas em 1975, uma para cada 30.000 habitantes, 80% em cidades do interior. Desde então, o país mudou. Quase 120 milhões de pessoas a mais passaram a viver nas cidades. A urbanização acelerada, a falta de investimentos em infraestrutura urbana, a baixa capitalização das empresas exibidoras, as mudanças tecnológicas, entre outros fatores, alteraram a geografia do cinema. Em 1997, chegamos a pouco mais de 1.000 salas.

Com a expansão dos shopping centers, a atividade de exibição se reorganizou. O número de cinemas duplicou, até chegar às atuais 3.005 salas, uma para cada 68 mil habitantes (Fonte: http://oca.ancine.gov.br/mercado-audiovisual-brasileiro). Esse crescimento, porém, além de insuficiente (o Brasil é apenas o 60º país na relação habitantes por sala), ocorreu de forma concentrada. Foram privilegiadas as áreas de renda mais alta das grandes cidades. Populações inteiras foram excluídas do universo do cinema ou continuam mal atendidas: o Norte e o Nordeste, as periferias urbanas, as cidades pequenas e médias do interior.

Hoje, para os profissionais e empresas do setor audiovisual, a ampliação do parque de salas de cinema é uma diretiva consensual, porque abre perspectivas para todos os agentes econômicos. Porém, a motivação para uma ação federal nessa área vai além das razões do cinema. Neste momento, o Brasil se mobiliza para qualificar os serviços das cidades, as condições de transporte, habitação, saneamento, para atender, integrar e melhorar a qualidade de vida de populações há muito desassistidas.

O Programa CINEMA PERTO DE VOCÊ, instituído pela Lei 12.599/2012, participa desse movimento, focado em levar cinema e serviços culturais para mais perto de todos os brasileiros. É uma iniciativa sem similar na história brasileira, como reconhecem os agentes do setor. Essas medidas representam um desafio aos empreendedores para o crescimento, e uma oportunidade para o fortalecimento e a modernização do cinema no Brasil.

Fonte: http://cinemapertodevoce.ancine.gov.br/node/2

SOBRE O CINEMA DA CIDADE (LEVANDO A MAGIA DE VOLTA AO INTERIOR DO PAÍS)

Nos municípios com menos de 100 mil habitantes, a viabilização de uma sala de cinema envolve uma equação econômica e financeira mais complexa, porque a tomada de empréstimo e o investimento são mais difíceis. Devido ao maior risco comercial dos empreendimentos de cinema nesse grupo de cidades, o Programa CINEMA PERTO DE VOCÊ desenhou o Projeto CINEMA DA CIDADE, que prevê a aplicação de recursos do orçamento da União, alocados por emenda parlamentar, ou por meio da modalidade apoio do Fundo Setorial do Audiovisual.

O projeto CINEMA DA CIDADE estimula, por meio de convênios com as Prefeituras e governos estaduais, a implantação de complexos de cinema em cidades com mais de 20 mil e menos de 100 mil habitantes que não disponham desse serviço. Nessas cidades, planeja-se a implantação de salas de propriedade pública com gestão preferencialmente privada. O projeto permite a instalação de salas de cinema, bonbonnière e espaços comerciais e de prestação de serviços.

As Prefeituras interessadas receberão da ANCINE as orientações necessárias e as especificações técnicas exigidas para a elaboração do projeto, além do repasse das verbas para sua execução. Essa iniciativa foi concebida e articulada de modo a atender e se adequar às necessidades de cada município. Desta forma, os agentes públicos poderão escolher a melhor alternativa para sua cidade.

Fonte: http://cinemapertodevoce.ancine.gov.br/node/13

Comentários no Facebook

Post A Comment