Por um abril em defesa da saúde e segurança do trabalhador

Coluna Rádio Peão

Por: Francisco da Silva, de Porto Alegre, RS

A situação de saúde e segurança do trabalhador e da trabalhadora é dramática. Segundo informações recentes do Tribunal Superior do Trabalho, ocorrem no Brasil mais de 700 mil acidentes de trabalho por ano e a cada dia aproximadamente 55 empregados deixam definitivamente o mundo do trabalho, por morte ou incapacidade permanente. Esses são os dados oficiais, mas sabemos que os números são bem maiores em função de que nem todos os casos são notificados aos órgãos de fiscalização e, muitas vezes, os próprios órgãos não reconhecem alguns casos. Os ataques desferidos pelo Governo Temer à Reforma da Previdência e também Trabalhista, se aprovadas, vão agravar ainda mais esse quadro.

Dia 28 de abril é o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente de Trabalho. Por ocasião desta data queremos estimular que durante o mês de abril façamos uma campanha em defesa da saúde e segurança do trabalhador. Esta campanha pode levar em consideração os acidentes de trajeto; as doenças e lesões ocupacionais como LER/DORT; a especificidade da mulher trabalhadora; os acidentes de trabalho; o impacto de altas temperaturas na saúde do trabalhador; problemas respiratórios e ergonômicos; a especificidade dos trabalhadores terceirizados e precarizados; o trabalhador rural; as tecnologias e as questões envolvendo Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva; transtornos mentais causados pelo trabalho; os sistemas de emergência nos locais de trabalho e no Sistema Único de Saúde; o papel da CIPA e dos Sindicatos; e muito mais.

Esta é uma campanha que pode envolver as mais diversas categorias profissionais. Certamente não há uma categoria sequer que não sofra com problemas de saúde em função do trabalho. Professores, pedreiros, metalúrgicos, bancários, técnicos administrativos, petroleiros, enfermeiros, estagiários, garis, e um longo etc.

O Esquerda Online estará aberto para receber denúncias dos locais de trabalho, artigos de opinião, entrevistas, pesquisas, vídeos e fotos. Acreditamos que é uma ótima forma de iniciar o debate com os trabalhadores sobre o desrespeito às legislações por parte dos patrões e governos e as injustiças do sistema capitalista que privilegiam sempre o lucro acima da vida.

Acreditamos e torcemos para que esta campanha consiga alcançar e envolver trabalhadores e familiares vítimas de acidentes de trabalho, cipeiros, sindicatos, pesquisadores da área e grupos de estudo de universidades, parlamentares comprometidos com a defesa da classe trabalhadora e partidos políticos de esquerda.

Julgamos que deveríamos usar alguns slogans durante esta campanha. Slogans que enfrentassem as principais ideias dos patrões em relação ao problema da saúde e segurança do trabalhador. Pensamos até agora em 3, mas certamente falta uma outra que tentasse explicar que o problema é o próprio sistema capitalista:

1) naturalização dos acidentes e lesões. Querem nos domesticar com a ideia de que sempre foi assim e sempre será, que não há o que fazer. Mesmo as alas mais de direita do campo de saúde e segurança do trabalhador afirmam que todo acidente pode ser evitado. Contra essa noção poderíamos dizer: #TodoAcidentePodeSerEvitado

2) a segunda e mais importante é a culpabilização da vítima. Querem dizer que o acidente só aconteceu porque o peão é burro ou desatento. Nunca admitem que as condições são inseguras. Sempre dizem que o ato do trabalhador é que foi inseguro. Contra essa concepção diríamos: #ACulpaNãoÉdaVítima

3) muitas vezes quando uma vítima de acidente de trabalho, cipeiro, dirigente sindical ou pesquisador da área faz uma denúncia de irregularidades, luta por melhores condições de trabalho, aponta os problemas que afetam a saúde do trabalhador, os capitalistas tentam responder dizendo que são agitadores, “políticos”, aproveitadores, que no caso das vítimas só querem dinheiro, etc. Querem dizer que lutamos em causa própria e não em defesa de nossa classe. Fazem isso para tentar nos deslegitimar perante os colegas e a sociedade. Contra essas ideias poderíamos dizer: #ÉPelaVidaDoTrabalhador

Vamos lá! É pela vida dos trabalhadores!

Envie para nós, pelo portalesquerdaonline@gmail.com, se quiser participar desta campanha. Ou envie diretamente seu material.

Foto: Sindicato dos Metalúrgicos de SJC

Comentários no Facebook

Post A Comment